Crise no Brasil: Província Franciscana de Santo Antônio do Brasil convoca frades a dar mais atenção aos pobres

SÃO FRANCISCO

A Província Franciscana de Santo Antônio do Brasil divulga nota e convoca frades para que, junto com o Povo de Deus, possa mais uma vez fazer uma clara opção pelos pobres, sendo uma presença junto aos movimentos sociais, pastorais, grupos paroquiais e família franciscana que lutam pelo direito à Justiça e a Paz. “Convidamos a todos a fazerem uma releitura da situação atual, a partir da ótica de nossa fé e do nosso carisma franciscano, tomando iniciativas concretas que ajudem na construção de uma sociedade mais justa e fraterna como sinal do Reino de Deus”, diz parte da nota que segue abaixo na íntegra.

 

CARTA AO POVO DE DEUS

 

“Nenhuma família sem casa, nenhum camponês sem terra, nenhum trabalhador sem direitos”. (Papa Francisco)

 

A Província Franciscana de Santo Antônio do Brasil, através do seu Ministro Provincial e do seu Definitório, que esteve reunido no Santuário de São Francisco das Chagas, em Canindé (Ceará), em comunhão com o Carisma Franciscano e em solidariedade para com os pobres e trabalhadores do Brasil, decidiu manifestar ao povo de Deus e a sociedade civil onde estamos inseridos, o nosso olhar sobre momento em que o Brasil e seus brasileiros vivem.

O Brasil, assim como o mundo, passa por um momento de grande confusão social: guerra, intolerância política e religiosa, empobrecimento mundial, fragilização das instituições democráticas, perda de direitos, crise migratória e tráfico humano, desrespeito à dignidade da vida humana nos seus mais variados aspectos, destruição ambiental, corrupção política e enriquecimento ilícito de uma minoria em detrimento da miséria de milhões de irmãos e irmãs.

Em nosso país estamos assistindo a um dos cenários mais obscuros da nossa jovem democracia: a perda dos diretos dos trabalhadores e trabalhadoras, o aumento da pobreza e da desigualdade social, a violência generalizada atingindo sobre tudo os mais pobres, as mulheres os negros e os jovens, o descrédito da população na instituição política brasileira, a péssima influência da grande mídia como fonte de verdade e manipulação a serviço dos interesses do mercado e do capital. Há uma desconfiança quase generalizada no modo como o Estado brasileiro manobra a justiça, dos artifícios que se utiliza na busca de soluções para que se promova a paz social no país.

Há um contexto de divisão explícita de classe social, de polarização de interesses, de agressão ao espaço democrático, junto à ausência da profecia religiosa, da apatia e do comodismo social. Diante deste quadro podemos nos perguntar: “quem está pagando o pato?”, sem dúvida são os mais pobres deste país: sem casa, sem trabalho, sem educação, sem saúde e segurança. São os estudantes: sem acesso a escola pública e aos financiamentos que os inseriam nas universidades. Há perda do direito à mobilidade dos brasileiros, sem transporte público de qualidade e a mercê do aumento abusivo dos combustíveis, gerando elevado preço da cesta básica, onerando assim o bolso dos cidadãos.

Apesar de tudo isso, nós brasileiros, pela força das nossas lutas e resistências, não podemos perder a Esperança. Enquanto irmãos menores queremos ser portadores da Esperança Evangélica que à luz do nosso Carisma nos convoca a ser uma presença profética entre os pobres e a defender os direitos humanos e a justiça social. Por isso, convocamos em primeiro lugar os nossos frades para que, junto com o Povo de Deus, possa mais uma vez fazer uma clara opção pelos pobres, sendo uma presença junto aos movimentos sociais, pastorais, grupos paroquiais e família franciscana que lutam pelo direito à Justiça e a Paz. Convidamos a todos a fazerem uma releitura da situação atual, a partir da ótica de nossa fé e do nosso carisma franciscano, tomando iniciativas concretas que ajudem na construção de uma sociedade mais justa e fraterna como sinal do Reino de Deus.

Canindé, 25 de Maio de 2018.

Fr. João Amilton dos Santos

Ministro Provincial

Leia também