Acampados sem terra comemoram produção, no Agreste

20992935_1476046799149967_10568656462566429_nVários acampamentos com trabalhadores ameaçados de despejo realizaram celebração, com a presença do deputado Estadual Frei Anastácio, para comemorar a boa produção agrícola deste ano. “Mesmo sem ter apoio do governo, nem financiamento, as famílias tiveram uma boa produção este ano”, disse Frei Anastácio.

O deputado relatou que dois dos exemplos são os posseiros das fazendas Salgadinho e Fazendinha, em Mogeiro. “Mesmo sofrendo a ação de capangas armados com espingardas calibre 12, pistolas e revólveres que já invadiram casas, roubaram objetos, ameaçando famílias e promovendo tiroteios eles estão produzindo bem”, disse o deputado.

Segundo o parlamentar, os posseiros de Fazendinha, pertencente a Mário Silveira e o filho dele, José Otávio, por exemplo, foram despejados e estão acampados distantes, no assentamento João Pedro Teixeira. Mesmo assim, estão fazendo a terra produzir. Frei Anastácio disse ainda que na fazenda Salgadinho, também em Mogeiro, o mesmo grupo de capangas já chegou até a confinar 60 cabeças de animais dos posseiros que moram nas terras há mais de 50 anos.

“Estamos lutando, juntamente com a Comissão Pastoral da Terra (CPT) e com nossas assessorias jurídicas, junto ao Incra, para que seja feita a desapropriação das terras. Assim, as famílias irão produzir mais e ter tranquilidade para criar seus filhos”, disse o deputado.

O deputado visitou ainda  os posseiros da Fazenda Pau-a-Pique, em São José dos Ramos, e esteve no assentamento Padre João Maria, também em Mogeiro, onde visitou o cruzeiro em homenagem à memória do assentado Ivanildo Francisco da Silva, assassinado em abril do  ano passado, dentro da casa, onde morava, na presença de uma criança de colo. Ele é mártir da luta pela terra na Paraíba”, disse o deputado.

“Essas famílias dos acampamentos, mesmo morando debaixo de lonas, conseguem produzir entre outras, amendoim, fava, macaxeira, milho, feijão de corda, além da criação de ovinos, aves e caprinos. Esperamos que a justiça olhe para esses posseiros usando a venda da sabedoria sobre os olhos. São famílias que estão lutando, simplesmente, para fazer a terra produzir e dela tirar o sustento de suas famílias”, disse o deputado.

Leia também