Assembleia realiza Sessão Especial para comemorar dia do trabalhador rural

A Assembleia Legislativa da Paraíba realiza sessão especial, nestas quinta (17), às 14h, no plenário principal, para comemorar o dia do Trabalhador Rural. A sessão é uma propositura do mandato do deputado estadual Frei Anastácio e contará com participação de trabalhadores rurais de diversas regiões do estado, além de representantes de ONGs, entidades sindicais e órgãos públicos.

“A data é dia 25 de julho. Mas, como a Assembleia estava em recesso iremos comemorar nesta quinta-feira. Será uma sessão com comemorações e protestos”, disse Frei Anastácio.

Durante a sessão, será realizado o lançamento do livro Conflitos no Campo Brasil, pela Comissão Pastoral da Terra. “O livro faz um balanço dos conflitos de terra em todo o Brasil, estado por estado, com números de mortes, trabalhadores feridos e ameaçados, entre outros,” relatou Frei Anastácio.

O deputado disse ainda que as comemorações deste ano terão muitos pontos de protestos. “Temos hoje no país, um governo golpista que foi enviado por satanás com muitos diabos em sua volta, para massacrar o povo. Ele só faz coisas ruins. E em relação aos trabalhadores rurais é um verdadeiro massacre. Está retirando programas sociais destinados ao campo, acabou com a reforma agrária, extinguiu o Ministério do Desenvolvimento Agrário e desqualificou o Incra”,relatou o deputado.

O parlamentar afirmou ainda que enquanto o governo penaliza as classes trabalhadoras beneficia empresários, latifundiários e os poderes Legislativo e Judiciário correm soltos. “Basta a ver os benefícios que os magistrados recebem a exemplo de auxílio moradia, no valor de quase R$ 5 mil, auxílio alimentação de R$ 1.200, no caso da Paraíba, além de diárias gordas e outros benefícios, sem falar no salário de R$ 30 mil. Não é diferente no Congresso Nacional, nas Câmaras de Vereadores e nas Assembleias de todo o país. Mas, o aumento do salário mínimo foi de apenas R$10”, disse o deputado.

O deputado denuncia ainda que a chegada do golpista trouxe muitas mortes para o campo, com o sentimento de impunidade em todo o Brasil. “É nesse clima de comemoração e de denúncia que os trabalhadores se reunirão na Assembleia Legislativa. Mas, mesmo assim, eles estão prontos para dizer que se orgulham do que fazem e do que são. Com Temer, ou com fora Temer, são eles que colocam na nossa mesa mais de 70 por cento dos alimentos que consumimos”, afirmou.

Leia também