IMG-20190828-WA0099

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias, da Câmara Federal (CDHM), realizou diligência, ontem (28), no acampamento dos trabalhadores rurais sem terra, Dom José Maria Pires, em Alhandra, e constatou que as famílias acampadas já estão vivendo da produção de alimentos, fruto das plantações feitas no meio dos bambus da fazenda Igarapu, que tem mais de cinco mil hectares.

“São famílias que vieram, em sua maioria, das periferias das cidades onde passavam fome e agora não enfrentam mais essa situação. Todas elas merecem permanecer na terra e serem assentadas”, disse o deputado federal Frei Anastácio (PT/PB), que faz parte da Comissão, que também estava representada pelo vice-presidente, Camilo Capiberibe (PSB/AP).

IMG-20190828-WA0077

Durante a reunião, que tiveram com as famílias e lideranças do MST, os membros da comissão colheram informações sobre a produção das 400 famílias que vivem na área, desde 2017, além de conhecer a realidade da área onde dois trabalhadores rurais foram assassinados, em dezembro do ano passado. Entre as plantações, os trabalhadores cultivam feijão, milho, banana, maracujá, macaxeira, inhame, abóbora entre outras.

Boas expectativas

IMG-20190828-WA0039

As lideranças do MST demonstraram muita expectativa positiva em relação à desapropriação das terras. Eles elogiaram a vinda da comissão à Paraíba, através de propositura de Frei Anastácio, e esperam que com a compreensão das autoridades, sobretudo, do Governo do Estado, as famílias não serão despejadas da área.

Frei Anastácio e Camilo Capiberibe elogiaram a determinação, a coragem, a perseverança e a força de trabalho dos acampados. Os dois parlamentares incentivaram os trabalhadores a expandirem ainda mais suas áreas de plantação. Todos estão otimistas de que na Audiência Pública, que será realizada, nesta sexta-feira (30), às 9h, na Assembleia Legislativa, pela CDHM, com presença de muitas autoridades, haja o encaminhamento de soluções para que os trabalhadores se mantenham na terra, assim como em outras áreas de conflitos de terra.

No final da tarde de ontem (28), a comissão realizou reunião com o Comitê Estadual de Enfrentamento ao Tráfico e Desaparecimento de Pessoas da Paraíba. O comitê apresentou denúncias e pediu providências para casos de tráfico de pessoas no Estado.

MVIMG_20190828_182805

Novas diligências

Nesta quinta-feira (29), a CDHM começou o dia visitando outros acampamentos de trabalhadores sem terra ameaçados de despejo. No final da tarde, os membros da comissão farão diligência na comunidade Porto do Capim, em João Pessoa, onde 170 famílias também estão ameaçadas de despejo pela Prefeitura.

Veja programação das atividades da CDHM nesta quinta-feira:

 

Agenda do dia 29/08/2019:

 

8horas – Pedras de Fogo – visita ao acampamento Arcanjo Belarmino.

10 horas – saída do acampamento Arcanjo Belarmino com destino à Fazenda Pau a Pique.

11horas – São José dos Ramos – visita à Fazenda Pau a Pique para verificar a situação dos posseiros.

- 11h30 – Pilar – Visita ao acampamento Boa Sorte de Pilar.

12horas – intervalo para almoço.

- 13h00 – Mogeiro – Visita ao acampamento Boa Sorte, de Mogeiro e Salgadinho.

- 13h30 – Saída de Mogeiro para visita aos posseiros de Ponta de Gramame em João Pessoa.

15horas – visita aos posseiros de Ponta de Gramame.

17horas – João Pessoa – Diligência a Porto do Capim para averiguar denúncias in loco.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your name here

Please enter your comment!