O deputado federal Frei Anastácio criticou as declarações de Bolsonaro mandando o povo deixar de chorar e de “mimimi”, diante do momento de agravamento da pandemia. “Essas declarações são uma afronta à memória dos mortos e uma ofensa a quem perdeu entes queridos, ou sofre os efeitos da pandemia. Essas declarações feitas por Bolsonaro retiram, de qualquer cidadã e cidadão de bem, sua representatividade como presidente”, disse o deputado.

O parlamentar disse que o presidente mostrou com essas falas, que não tem nada de planejamento para a crise. “Ele mostra que não está preocupado com as mortes, com o direito à vida, nem  tampouco com o momento crítico que vive o Brasil. Ao mandar mais de 260 mil famílias deixarem de chorar seus mortos e a nação deixar de “mimimi e de frescura”, Bolsonaro está confessando que não serve  para ser o presidente da nação”, relatou. 

Frei Anastácio disse ainda que “assim como nunca teve o que dar à nação, agora, Bolsonaro assina sua total incompetência e irresponsabilidade com esse pronunciamento, diante do momento triste e grave pelo qual passa o Brasil, com a tristeza das mortes e a crise econômica. Como dizem no mundo do esporte: ele jogou a toalha. Com seu jeito grotesco, ele entregou sua carta de demissão”, relatou.

Reação do povo

O parlamentar ressalta que o Congresso Nacional, que vem tomando as principais medidas de socorro durante a crise, precisa colocar em pauta o impeachment de Bolsonaro. “Não dá mais para tolerar tanta incompetência intencional e irresponsabilidade de um governante, diante de uma crise que leva vidas e dissolve a economia do Brasil. A população também precisa reagir e pressionar o Congresso Nacional para que tome posição. O povo é o verdadeiro dono do país e quando se manifesta é atendido. Essas declarações feitas por Bolsonaro retiram, de qualquer cidadã e cidadão de bem, sua representatividade como presidente”, concluiu.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here