Deputado elogia senador que defendeu senadoras em Comissão de Ética

O deputado estadual Frei Anastácio (PT) elogiou, hoje (10), na Assembleia Legislativa a atitude do senador Lindbergh Farias em defender as seis senadoras que tentaram barrar o andamento da votação da reforma trabalhista. “A Comissão de Ética do Senado queria punir as senadoras por aquele ato, esquecendo eles que coisas mais graves aconteceram diante da roubalheira que se instalou no país”, disse o deputado.

“Mas, o Conselho de Ética decidiu pelo arquivamento do processo contra as seis senadoras que, em julho, ocuparam a mesa do plenário do Senado. Isso foi feito numa tentativa de abrir negociação das emendas da Reforma Trabalhista na sessão que votou a famigerada reforma trabalhista. Se não fosse Lindbergh, as senadoras teriam sido punidas”, explicou.

A reunião do colegiado foi convocada para escolher o relator do pedido de denúncia, protocolado pelo senador José Medeiros (PSD-MT), contra as senadoras Fátima Bezerra (PT-RN), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Vanessa Grazziotin (PC do B-AM), Regina Sousa (PT-PI), Lídice da Mata (PSB-BA) e Ângela Portela (PDT-RR). “Trata-se de uma ação que nada mais é do que uma pauta de perseguição contra a democracia”, afirmou o deputado.

O deputado diz que se trata de perseguição contra as oposições e contra os direitos de milhares de trabalhadores deste país que este Presidente vem cumprindo. Ao mesmo tempo, que é uma pauta de perseguição, revela as faces de um presidente que, não satisfeito com o golpe, faz da maioria da Câmara dos Deputados e do Senado, massa de manobra para se livrar das próprias denúncias.

“Como se não bastasse, a perseguição contra direitos dos trabalhadores, a defesa do presidente Michel Temer agora parte pra cima do procurador Rodrigo Janot. Eles pedem que ao Supremo Tribunal Federal o afastamento do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, por denúncias de corrupção contra o presidente. Uma vergonha geral”, disse Anastácio.

 

 

 

Leia também