Foto: rede social do cantor

O deputado federal Frei Anastácio (PT/PB) lamentou a morte do cantor, compositor e acordeonista paraibano Pinto do Acordeon, ocorrida nesta terça-feira (21), em São Paulo, onde ele lutava contra um câncer na bexiga. “Pinto do Acordeon deixa grandes contribuições para a cultura nordestina e brasileira”, destacou o deputado.

O deputado destacou que além de um mestre da música regional, a Paraíba perdeu um ser humano com virtudes admiráveis. Entre elas, a humildade e a forma exclusiva de contar a história do povo, do cotidiano, do sentimento, do amor e das relações entre as pessoas, através da música, aplicando arranjos bem trabalhados com a habilidade e intimidade que ele tinha com a sanfona.

“Eu externo meus sentimentos de pesar a toda família de Pinto do Acordeon, amigos, fãs, admiradores e a toda classe artística da Paraíba e do Nordeste que está de luto com a partida desse homem que deixa um legado muito rico no cancioneiro regional. Que Deus o tenha em Seus braços eternos para um descanso de paz”, disse.

Histórico de sucesso

Pinto do Acordeon era natural de Conceição, no Vale do Piancó.  Ele gravou seu primeiro LP em 1976. Deixou cerca de vinte álbuns gravados, entre CDs e LPs. Entre as parcerias em gravações estão músicas compostas para Elba Ramalho, Genival Lacerda, Dominguinhos, Fagner, Os Três do Nordeste e Trio Nordestino. Um de seus sucessos, “Neném Mulher”, ficou consagrada na voz de Elba Ramalho e foi tema da telenovela Tieta.

Além de artista da música, Pinto exerceu um mandato de vereador em João Pessoa, entre os anos de 1993 e 1997. Em setembro do ano passado, Pinto do Acordeon recebeu o título de “Mestre das Artes Canhoto da Paraíba”, concedido pela Secretaria de Estado da Cultura da Paraíba.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here