Deputado lamenta vetos a projetos que beneficiariam policiais e meio ambiente

O deputado estadual Frei Anastácio (PT) lamentou, hoje (16), na tribuna da Assembleia Legislativa, oss veto a dois projetos de autoria dele pelo governo do estado. “Não entendo como vetam  projetos de alcance social como esses que trariam benefícios à força de segurança do estado e ao meio ambiente”, disse o deputado.

Um dos projetos vetados proporcionaria ao policial militar, civis e agentes penitenciários andarem nos ônibus intermunicipais apenas apresentando a carteira profissional. “Seria uma forma de proteger a vida desses agentes de segurança pública, que muitas vezes escondem até a farda quando andam de ônibus para evitar a ação de bandidos contra eles”, explicou.

O outro projeto vetado propõe responsabilidade social para empresas que se instalarem no estado, destinem um pequeno percentual do lucro em benefício ao meio ambiente e comunidades de seu entorno. Mas, a assessoria do governador entendeu que isso é ruim para o estado.

O deputado também enfatizou que não entende como a Assembleia aprovou os projetos por unanimidade, e quando eles chegaram nas mãos dos assessores do palácio foram vetados. “Irei recorrer para que esses vetos sejam derrubados e os dois projetos sejam transformados em lei. Não dar para ficar inerte diante disso”, afirmou.

Voto de pesar

O parlamentar também apresentou voto de pesar pela morte do Sargento PM Guido Romero, militante do Partido dos trabalhadores e que  estava disputando uma vaga para vereador em João Pessoa.

Ele sofreu um acidente causado por um veiculo ainda não identificado na noite de sábado, na BR 230, entre Cabedelo e João Pessoa. A pessoa que bateu nele não prestou socorro e fugiu do local.

“Quem puder fornecer informações a respeito, pode ligar para o disque denúncia. O número é o 197 e não precisa se identificar. Deixo meus sentimentos aos familiares do Sargento Guido e dizer que como presidente da Comissão de Direitos Humanos desta casa estamos de prontidão para o que a família dele precisar”, disse o deputado.

 

Leia também