Familiares e companheiros de luta celebram casamento do ex-vereador petista de Cajazeiras, Severino Dantas Fernandes e Ana

10445590_742693309151990_3595281465719184757_nFamiliares, amigos e companheiros de luta celebraram domingo (21), às 18h, na comunidade Bálsamo, município de São João do Rio do Peixe – PB, a cerimônia de casamento religioso do ex-vereador do Partido dos Trabalhadores (PT) em Cajazeiras – PB, Severino Dantas Fernandes com a Sra. Ana. O celebrante foi o Frei Anastácio, reeleito deputado estadual da Paraíba pelo PT. Eles já são casados civilmente há muitos anos, e têm filhos e netos.
O casamento religioso foi um pedido da noiva, que é católica e petista militante – uma mulher de fibra e valorosa companheira de luta. Severino Dantas foi um aguerrido, combativo, vigilante e guerreiro vereador do Partido dos Trabalhadores (PT) em Cajazeiras – PB durante 16 anos (1997/2012). É um simpático e aguerrido comunista egresso do Partido Operário Revolucionário Trotskista – PORT, seção brasileira da Quarta Internacional Socialista Posadista (PORT – P), fundado em 1955, onde o mesmo realizou intenso trabalho para o aliciamento e recrutamento de estudantes, camponeses e outras classes, em Antenor Navarro (atual São João do Rio do Peixe), Campina Grande e João Pessoa na Paraíba. Em 1984, era membro do Diretório Regional do PT no Estado da Paraíba. Em 1986, disputou as eleições para o cargo de deputado federal pelo PT.
No ano de 1956 saiu da Comunidade Bálsamo no município de São João do Rio do Peixe/PB (antiga Antenor Navarro), com o objetivo de estudar no Seminário dos Franciscanos localizado em Triunfo-PE. Em seguida, em 1962, mudou-se para João Pessoa-PB, ocasião em que ingressou nos movimentos estudantis e em seguida nas Ligas Camponesas lideradas no Nordeste pelo advogado e ex-deputado federal Francisco Julião Arruda de Paula, sendo seus companheiros todos integrantes do Partido Operário Revolucionário (Trotskista) no ano de 1964.
Com o advento do Golpe Militar, Severino Dantas foi compelido a abandonar as atividades estudantis, bem como, seu emprego no Movimento de Alfabetização Popular – Método Paulo Freire, extinto pelo citado Golpe. Depois o Golpe Militar de 1964, juntamente com outros companheiros, passou a viver na clandestinidade realizando vários eventos como o objetivo de rearticular o movimento popular das Ligas Camponesas e os movimentos estudantis através do famoso “grupo dos 05” e dando continuidade ao movimento nacionalista encabeçado por Leonel Brizola.
Em 1965 mudou-se para Fortaleza-CE, onde, junto com outros companheiros fundou uma Secção Brasileira da Quarta Internacional, mas permaneceu naquele estado somente até dezembro de 1965, pois o grupo havia sido descoberto pela polícia, que passou a perseguí-lo, e por segurança, partiu para a cidade São Paulo para participar de cursos de formação política e tentar uma vaga no mercado de trabalho.
Em janeiro de 1966, Severino Dantas deixou a cidade de São Paulo com destino a Porto Alegre e de lá para Montevidéu, capital do Uruguai e em seguida, de barco, foi para a Argentina, onde, após viver clandestinamente alguns anos, recebeu do governo argentino autorização de permanência naquele país. Por conta da perseguição sofrida por ocasião das operações militares, como não o localizava quem sofria as consequências era seu pai, Sr. Manoel Guerra Dantas, que por duas vezes fora preso e levado para a Superintendência da Polícia Federal de João Pessoa para que confessasse onde seu filho poderia ser encontrado.
Em 1º de maio de 1980, participou, na condição de ex-exilado político de um ato público contestatório, realizado na Catedral Metropolitana de João Pessoa-PB, como um dos oradores. Severino Dantas é cadeirante, mas isso não o impede de lutar bravamente por um mundo melhor, inclusive muito mais do que muitos que podem andar normalmente.
Foram prestigiar o ato religioso companheiros de luta como o ex-vereador, ex-vice-prefeito de Sousa, fundador do PT de Sousa, socialista, advogado Francisco Valdemiro Gomes (Chiquinho do PT) e D. Francisca Sena (Dodora); Secretário de Planejamento da Prefeitura Municipal de Sousa e professor da UFCG, petista Antônio Nóbrega Gadelha Queiroga e sua esposa, a ex-vereadora Socorro Pinto; advogado, marxista, militante ecossocialista, articulador do movimento cidade semiárida, membro do Comitê de Energia Renovável do Semiárido, César Nóbrega e sua esposa a odontóloga Marneida Pedrosa Pinto Gadelha; Paulo Nóbrega e Conceição; servidor público Vladimir Ricarte Dantas/enfermeira Vivianne Galvão Pessoa e demais convidados.

Abdias Duque de Abrantes
Jornalista MTB-PB Nº 604

Leia também