Fórum aponta movimentos sociais como ferramentas para mudanças no Brasil

“As ferramentas para as transformações do nosso país não são as elites, nem a política. As mudanças só continuarão acontecendo, com o fortalecimento dos movimentos sociais do campo e da cidade”. A afirmação é do deputado estadual Frei Anastácio (PT). Segundo ele, essa foi umas das conclusões dos debates do Fórum Social Temático, do qual ele participou, em Porto Alegre (RS), de 21 a 26 deste mês.

O Fórum foi promovido por ativistas de organizações não governamentais (ONGs), sindicatos, movimentos sociais brasileiros e de vários países da América Latina.

O deputado disse que essas conclusões foram levantadas pelos debates promovidos pela juventude, com representação de todo o Brasil. “Dessa forma, é preciso um maior fortalecimento dos movimentos sociais do campo, a exemplo do MST, Comissão Pastoral da Terra e das organizações da cidade, a exemplo do LGBT, movimentos de Mulheres, Negros, Sindicatos, ONGs, entre outros, para enfrentar a luta em busca das transformações do nosso país”, disse o deputado.

Frei Anastácio argumenta que, de acordo com os debates do Fórum, “se os movimentos sociais não saírem às ruas e aos parlamentos em busca dos verdadeiros anseios da sociedade, as elites retornarão ao poder e irão retirar todas as conquistas populares obtidas até agora”, afirmou.

O parlamentar disse que o fórum apontou que o país tem que avançar em várias áreas. Uma delas é na proteção dos jovens pobres e negros, que são os principais alvos da violência e das drogas. “Um estudo do Ministério da Saúde mostra que em 2010, por exemplo, 76% dos jovens assassinados com idades entre 15 e 29 anos, eram negros do sexo masculino. E essa realidade ainda não mudou muito. Precisamos avançar na conquista de uma verdadeira democracia que proteja a todos. A que temos, ainda é uma falsa democracia”, disse o deputado.

União dos partidos aliados

Além do fortalecimento dos movimentos sociais, o deputado afirma que é necessária a união dos partidos de sustentação do governo do PT, para que as transformações continuem acontecendo no Brasil. “O próprio secretário-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, esteve no Fórum e externou essa preocupação. Ele avalia que o cenário econômico do país ainda não é o ideal e que o país enfrentará nova onda de protestos durante a realização da copa. O secretário avaliou ainda, que diante do desgaste natural de 12 anos do governo do PT, as eleições para presidente deverão ir para o segundo turno”, relatou Frei Anastácio.

Nesse aspecto, Frei Anastácio elogiou a iniciativa do presidente nacional do PT, Ruy Falcão, que está visitando os estados buscando o fortalecimento da aliança com os partidos de sustentação. “Ele já esteve na Paraíba, Ceará, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Espírito Santo e continuará com essa missão de fortalecer a aliança. O PT trouxe mudanças significativas para o nosso país, e para continuar avançando precisa da força dos aliados, do povo e dos movimentos sociais”, disse o deputado.

Leia também