“É revoltante assistir manifestações que mostraram a existência de dois países dentro do Brasil. Um país, representado pelo Grito dos Excluídos e Excluídas, que é a realidade nacional, pedindo o fim da fome, do desemprego, da carestia, da miséria e lamentando as mortes pela pandemia. Do outro lado, o Brasil de Bolsonaro com insuflações golpistas, que vê como únicos problemas da nação, dois ministros do STF e o voto impresso, ignorando completamente os verdadeiros problemas do Brasil. É triste ver que uma multidão “fanática” esteja inebriada com essa narrativa de conspiração fantasiosa de Bolsonaro”.

As declarações são do deputado federal Frei Anastácio (PT) ao avaliar os discursos de Bolsonaro, durante manifestações com apoiadores em São Paulo e Brasília. “Visivelmente abalado pelo fracasso do seu governo e pelo o público presente que representou 6% do esperado pelos organizadores, em São Paulo, onde esperavam dois milhões de pessoas, Bolsonaro se apegou à sua narrativa golpista para alimentar o ódio dos que o elegeram, como cortina de fumaça, diante da falta de resultados positivos de seu governo para entregar à nação”, disse.

Sem esperança para o Brasil

O parlamentar argumentou que é “vergonhoso o fato do Presidente da República, diante de uma multidão, não levar nenhuma palavra de esperança para combater a carestia, aumento constante dos combustíveis, desemprego, a fome, a miséria, melhorar a educação, a saúde, a educação básica e superior, os programas de habitação, bolsa família, entre outros que estão sucateados. Como se diz no boxe, ele jogou a toalha para os problemas do Brasil”, afirmou.

 Além disso, segundo o deputado, mais uma vez, Jair Bolsonaro ignorou o sofrimento de quase 600 mil famílias que perderam entes queridos na pandemia. “O povo espera de um presidente, não apenas falácias golpistas vazias sem nenhuma ação para resolver os problemas da nação, sobretudo, diante dos efeitos de uma pandemia. Mas, foi isso que o Brasil e mundo assistiram: um presidente que não tem mais nada a oferecer à nação”, finalizou.

Ato em João Pessoa

O parlamentar participou do Grito dos Excluídos e Excluídas, em João Pessoa e elogiou a organização do evento, que teve sua 27ª versão. “Também deixo os parabéns ao Governador da Paraíba e ao Comandante Geral da Polícia Militar, pela presença da PM durante todo o percurso. Se não fosse a presença da polícia, com certeza teria havido confronto, uma vez que muitos bolsonaristas fizeram provocações, principalmente, no Busto de Tamandaré, praia de Tambaú, onde a manifestação terminou. Mas, a polícia estava lá e manteve a paz”, narrou o deputado.

O Grito contou com milhares de pessoas, que fizeram o percurso da Praça das Muriçocas, passando pela Avenida Epitácio Pessoa, até o Busto de Tamandaré, que foi reservado pela organização do movimento para a concentração final. As pessoas levaram faixas, cartazes com frases denunciando a crise no país, batucadas, bandeiras do Brasil, de partidos, de entidades sindicais, ONGs, e durante todo percurso a multidão gritou palavras de ordem com o tema fora Bolsonaro.

O 27º Grito teve como tema “A vida em primeiro lugar: na luta por participação popular, saúde, educação, comida, moradia, trabalho e renda já”. “Este ano, o Grito exigiu ações concretas em defesas da vida ameaçada por ações de um governo genocida, que está preocupado apenas em se manter no poder e manter as benesses de militares, amigos e familiares usando de forma descarada o dinheiro público”, disse.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here