Frei Anastácio apoia Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase

O deputado estadual Frei Anastácio (PT) declarou, hoje (28), na tribuna da Assembleia Legislativa, apoio à luta do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan), para que o processo de indenização aos filhos de pessoas convivendo com hanseníase retirados compulsoriamente de suas famílias seja agilizado. “As pessoas com hanseníase, sejam elas pais ou filhos, sofreram preconceito e violação de direitos humanos, sem precedentes e precisamos reparar isso”, afirmou o parlamentar.

Segundo o deputado, a hanseníase sempre foi vista na história como uma doença que não tinha cura, contagiosa, e, que mutilava, desfigurava seu portador e isso gerou uma grande discriminação, e, os portadores da doença consequentemente foram excluídos do convívio social.

Na Paraíba existe o Centro de Referência no Tratamento da Hanseníase, antiga colônia Getúlio Vargas, no bairro Mário Andreazza, em Bayeux. Atualmente, 14 famílias residem ainda na área. Primeiramente denominada de Leprocômio, conhecida popularmente como Leprosário, as suas edificações tiveram início em 1938 e sua fundação ocorreu no dia 12 de julho de 1941. “Uma vez que temos um centro que trata desta questão, nada mais lógico do que envolver a Paraíba nesta luta pela justiça restaurativa a estes filhos”, explicou.

Tramitam na Câmara Federal, projetos de Lei propondo o pagamento de indenização aos filhos de pessoas convivendo com hanseníase e retirados compulsoriamente de suas famílias. O parlamentar, por ser presidente da Comissão dos Direitos Humanos e das Minorias da Assembleia, recebeu extensa documentação da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, sobre o movimento de reintegração das pessoas atingidas pela hanseníase.

“Este documento, por recomendação, das audiências realizadas em Minas Gerais, sobre a questão, chegou a esta Casa, solicitando que a Comissão de Direitos Humanos deste Poder, faça algumas ações sobre a situação das famílias na Paraíba”, complementou o deputado.

O parlamentar informou que reunirá a comissão que preside para realizar uma visita ao Centro de tratamento. Além disso, elaborará um relatório propondo a preservação dos prédios e documentos. “Iremos ainda lutar para o resgate da dignidade e ressocialização daquelas famílias. O Morhan já está realizando um levantamento para identificar e cadastrar os filhos que sofreram com a separação e o preconceito, na Paraíba, em parceria com Secretaria de Saúde do Estado”, disse Frei Anastácio.

Leia também