O deputado federal Frei Anastácio (PT/PB) disse que apoia todas as manifestações de protesto da comunidade universitária, contra mais um golpe de Bolsonaro, à democracia e  autonomia universitárias, na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), com a nomeação do candidato a reitor que ficou em último lugar, com apenas 5% dos votos.

“Contrariando a tudo e a todos que acreditam na democracia, Bolsonaro nomeou o último colocado na eleição para reitor. Bolsonaro mais uma vez, impôs sua própria vontade e atropelou a decisão soberana do voto da maioria da comunidade acadêmica. Um ato de ditador. Isso precisa ser corrigido no STF”, disse o deputado.

O parlamentar destaca que o cargo de Reitor é de quem realmente foi mais votado. “O que deve prevalecer é a decisão da comunidade acadêmica, não a ditadura de Bolsonaro. A comunidade elegeu para reitora, a professora Terezinha Domiciano e a professora Mônica Nóbrega, como vice. Essas são as que devem assumir”, disse.

Disputa limpa e de alto nível

Frei Anastácio ressaltou ainda que a eleição para reitor(a) foi uma disputa limpa, pacífica e de alto nível. “Pela tradição, que se formou ao longo dos anos na UFPB, o presidente deveria respeitar o resultado da eleição. Mas, em vez de aceitar as duas mais votadas, Bolsonaro nomeou o último colocado, com apenas  5% dos votos. E mesmo sendo rejeitado pela comunidade, o nomeado já se dispôs a ser capacho de Bolsonaro”, disse.

 O parlamentar reafirmou que “estou ao lado da comunidade acadêmica contra mais esse ataque à democracia e autonomia universitária. Bolsonaro é um presidente que não tem respeito nenhum a toda uma comunidade de professores, estudantes e funcionários que elegeram seus gestores de forma democrática e legítima com indicação das duas professoras mais votadas para os cargos”, concluiu.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here