Visita Padre Zé_1

O deputado estadual Frei Anastácio apresentou voto de aplauso ao diretor do Hospital Padre Zé, Padre Egídio Carvalho Neto, que em sete anos de administração fez uma verdadeira revolução naquela casa de saúde filantrópica. ” Posso dizer que o hospital Padre Zé  está fazendo um atendimento digno e humano ao pobres. Eu estive lá e vi tudo de perto”, disse o deputado.

O parlamentar relatou que Hospital tem atualmente 120 leitos. Sessenta deles foram conseguidos através do Governo Dilma, para pacientes graves. São leitos que estão em enfermarias com ar condicionado e equipamentos  modernos. “Quero também parabenizar o governador Ricardo Coutinho que está dando toda atenção aquele hospital. Segundo o padre Egídio, se não fosse a ajuda do governo do estado, o Padre Zé já teria fechado as portas”, destacou.

O deputado informou que o governo do estado repassa mensalmente para o hospital a quantia de R$ 180 mil para compra de medicamentos. “O interessante é que os pacientes são internados e saem com remédio para tomar em casa. Além dos remédios, o governo do estado paga a conta de energia todo mês e construiu um centro de fisioterapia. Esse centro atende a 300 pessoas por mês e é considerado o melhor da rede pública de todo o estado.”, disse.

Exames com resultados rápidos

Visita_Padre Zé 1

Outro serviço que chama a atenção são os exames que o hospital realiza. O paciente faz tudo lá mesmo, e recebe o resultado rápido. Entre os exames estão eletrocardiograma, muitos exames de imagem,endoscopia, colonoscopia entre outros. “Enalteço ainda a atenção que a população dar ao hospital com doações de alimentos e até remédios. Visitei o depósito de alimentos e fiquei surpreso com a quantidade de estoque.O que existe guardado é o suficiente para o hospital não precisar comprar nada para a alimentação. É tanto alimento doado, que a direção faz doações a outras instituições”,elogiou.

Além disso,o hospital  ainda fornece comida a  moradores de rua e mantém uma casa com 200 portadores do vírus HIV, com alimentação, cuidados médicos e remédios. Outro ponto humanitário que chama a atenção é  o cuidado com a alimentação dos pacientes. Eles quando têm alta, ficam recebendo cesta básica de 60 quilos de alimentos durante seis meses.

O hospital Padre Zé tem ainda um atelier para fabricar os lençóis e roupas usados no local. Possui lavanderia elétrica moderna e se orgulha de ter o índice de infecção hospitalar, Zero. Não existe nenhuma infecção dentro do hospital. Hoje, trabalham naquela unidade, 180 funcionários, mais 120 voluntários e existe ainda uma parceria com o Unipê.

Falta de atenção da Prefeitura de João Pessoa

“A única coisa que eu lamento, é que a Prefeitura de João Pessoa não tem atenção para aquele hospital. Até o repasse do SUS no valor de R$ 110 mil  é pago com atraso.

O hospital fatura mais de  R$ 400 mil reais, em atendimentos. Mas, só recebe da Prefeitura R$ 110 mil e com atraso. Enquanto isso, as Upas, que não fazem internação, recebem da Prefeitura R$ 800 mil  por mês. Alí, no Padre Zé, os pobres  de várias cidades do estado, que muitas vezes são rejeitados pelos hospitais, no Padre Zé são atendidos com dignidade e respeito. Por isso, estou apresentando esse voto de aplauso,mais do que merecido, ao padre Egídio, que transformou aquela unidade de saúde que respeita os pobres”, concluiu.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your name here

Please enter your comment!