Frei Anastácio cobra posição da Assembleia sobre situação política do Brasil

O deputado estadual Frei Anastácio cobrou, hoje (24), na tribuna da Assembleia Legislativa, uma posição do Poder Legislativo diante da situação política em que se encontra o Brasil. “Diversos órgãos, a exemplo da OAB, já tomaram posição a favor de eleições diretas no Brasil e pela saída do governo golpista, que está desmoronando, e a Assembleia?”, indagou o deputado.

Frei Anastácio disse que o povo está consciente de que esse governo golpista não tem mais sustentação, mas está tentando negociar a permanência no poder. “Enquanto ficamos aqui horas discutindo Regimento Interno, o povo está sofrendo e querendo uma posição do Parlamento sobre essa situação triste que passa o nosso país e a Casa não se pronuncia”, afirmou.

De acordo com o parlamentar, o cenário nacional está uma verdadeira ‘baderna’ com um governo ‘podre’, tentando jogar a culpa de tudo isso para o governo do PT. “ O governo golpista está desmoronando. Já caíram vários ministros e assessores que pediram demissão a exemplo de Sandro Mabel (PMDB), que fazia a interlocução com a Câmara e Congresso. Está faltando só Temer tirar o deputado federal cassado Eduardo Cunha da cadeia, para ajudar ele a desgovernar o Brasil”, disse o deputado.

Negociata para eleições indiretas

O parlamentar alertou ainda que nesta quarta-feira, muitos trabalhadores, dirigentes sindicais, ONGs, associações e os movimentos sociais estão em Brasília para pedir a renúncia do golpista e eleições diretas, já. “O povo tem que sair às ruas. O golpista está defendendo eleições indiretas e já tem vários candidatos. Entre eles, Tasso Jeireisati,o presidente da Câmara dos deputados, Rodrigo Maia e o presidente do Senado, Eunício Oliveira. Já estão fazendo uma negociata para continuar governando”, alertou.

Frei Anastácio afirmou ainda que esse governo golpista está ‘podre, caindo aos pedaços’, o que faz com que a classe política seja cada vez mais desacreditada pelo povo. “ Temos no governo e na classe política, com raras exceções, ‘bandidos que estão querendo acabar com a classe trabalhadora, destruir o povo e não merece credibilidade, inclusive, em nosso parlamento paraibano. O povo é quem vai expulsar esses ‘bandidos’ do poder e esse presidente golpista que só veio para destruir”, disse.

 

Leia também