Frei Anastácio critica governo por não contratar policiais na Paraíba

O deputado estadual Frei Anastácio (PT) criticou, hoje (03), na tribuna da Assembleia Legislativa, a demora do governo do estado em contratar os concursados para a Polícia Civil aprovados no concurso de 2008, ainda no governo Cássio,mesmo depois de audiência de conciliação com a justiça. “São 1.063 aprovados. Desses, 523 já fizeram o curso de formação, deixando seus antigos empregos para tomar posse. Mas, mesmo tendo feito acordo na justiça, o governo não cumpriu com sua parte”, destacou Frei Anastácio.

O deputado disse ainda que não adianta os deputados de situação dizerem que a oposição está fazendo sensacionalismo com a violência e não apresenta propostas. “Quem tem que apresentar soluções é o governo do estado. Ele foi eleito para isso. Se não tem competência, peça para sair do cargo”, disse o parlamentar.

Frei Anastácio explicou que em audiência com o governo do Estado e com representantes dos concursados, a justiça determinou a convocação dos aprovados após 30 dias da conclusão do curso de formação, mas a determinação não foi cumprida por parte do governo estadual.

“Diante do não cumprimento, por parte do governador, outra audiência foi realizada e mais um planejamento foi apresentado. Ficou definido que seriam convocados 30 aprovados por mês, a partir de 2015 até 2016, mas até agora apenas 150 foram chamados. “O governo alega que não tem condições financeiras de convocar 523 policiais. Isso vai se arrastar até 2016 e os que já tinham deixado seus empregos acreditando na nomeação, estão desempregados. O pior é que o prazo do concurso vai se vencer”, lamentou o parlamentar.

Para o deputado, o governo do estado quando precisa remanejar recursos para alguma área, envia para a Assembleia Legislativa mensagem em caráter de urgência, mas para questões de segurança pouco é feito. “O governo poderia muito bem solicitar crédito suplementar para investir na contratação de pessoal. Eu mesmo votaria a favor. Poderíamos formar uma comissão de deputados, junto com o governo, para buscar recursos em Brasília. Estou pronto para ajudar”, declarou Frei Anastácio.

Frei Anastácio lembrou que o governador foi eleito sob a promessa de resolver o problema da segurança pública em seis meses, mas o que estamos vendo, sofrendo e sentindo é justamente o contrário. Quando a segurança funciona com grande efetivo é para despejar trabalhadores e trabalhadoras que querem produzir alimentos. Para cumprir os mandados da justiça que prejudicam o povo, o governador age rápido. Mas, quando as determinações são em desfavor ao governo, ele faz vista grossa e não cumpre. Alguns exemplos são o não cumprimento da lei do subsídio do Fisco, redução no orçamento da UEPB e retirada da gratificação de risco dos policiais militares”, ressaltou o deputado.

Leia também