Frei Anastácio critica nomeações de Temer para superintendência do Incra

Frei Anastácio

O deputado estadual Frei Anastácio (PT) criticou, hoje (09), na tribuna da Assembleia Legislativa, as nomeações que foram feitas para a superintendência do Incra, na Paraíba, pelo governo Temer. “Foram duas nomeações que quebram uma sequencia de nomes que assumiram o Incra, com compromisso com os movimentos sociais do campo de fazer a reforma agrária caminhar na Paraíba”, disse o deputado.

De acordo com o parlamentar, como o governo golpista quer acabar com a reforma agrária, não mostra nenhuma preocupação sobre quem assume o Incra.  “Ontem, foi empossado no cargo de superintendente do Incra/PB, o analista de sistema, Francisco Rinaldo Maranhão, que é natural do Ceará. Antes dele, estava Solon Diniz, que foi apenas uma figura decorativa na instituição. Ele não sabia gerir nada sobre a problemática da autarquia. Agora, entra um analista de sistema para administrar assentamentos da reforma agrária. Nada contra ele,até porque nem o conheço. O meu protesto é contra o governo golpista”,destacou Frei Anastácio.

O deputado lembrou que durante muitos anos, os superintendentes do Incra eram nomeados a partir de uma discussão com os movimentos sociais do campo. “Tivemos nomes como os de Julio Cesar Ramalho, o meu nome, Marcos Faro (servidor do Incra),Lenildo Morais, Cleofas Caju. Isso, sem falar em outros nomes de servidores do Incra, que no passado ocuparam esse cargo com conhecimento dos problemas da autarquia”,lembrou o deputado.

De acordo com o parlamentar, o governo federal não está preocupado com o bom andamento da reforma agrária. “Esse governo golpista, assim que assumiu, acabou até com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e transformou em secretaria. O orçamento destinado à reforma agrária para este ano foi reduzido pela metade. Dessa forma, não vemos dias melhores para as 14 mil famílias que vivem nos 311 assentamentos do estado”, afirmou o parlamentar.

Leia também