Frei Anastácio diz que apreensão de material em Universidades é um atentado à democracia

Frei dando entrevista

O deputado estadual e deputado federal eleito, Frei Anastácio, classificou hoje de atentado à democracia e ao direito de livre expressão, a apreensão de material, manifestos, visita da polícia aos locais e notificação do Ministério Público envolvendo 29 instituições de ensino no Brasil, inclusive aqui na Paraíba, a exemplo da UFCG, UEPB e UFPB.

“Isso é um fato que só se via na ditadura Militar”. Quero me solidarizar com os professores e servidores das universidades paraibanas e de todas as entidades do Brasil, que tiveram atividades interrompidas, material apreendido e foram notificadas pelo Ministério Público, ou receberam a visita da Polícia. “Isso se chama repressão, e é reflexo de uma campanha de ódio feita pelo candidato Jair Bolsonaro”, disse o deputado.

Frei Anastácio relatou, por exemplo, o caso do manifesto em defesa da democracia feito pelos professores da UFCG. “O manifesto não cita nenhuma vez o nome de Bolsonaro. É uma nota puramente em defesa dos direitos à democracia. Mesmo assim, por determinação da justiça esse material foi apreendido. Já estão querendo calar a boca do povo, sem nem mesmo ganhar as eleições. Imaginem se esse povo chegar ao poder”, indagou o deputado.

O deputado federal eleito argumentou que crime, sim, foi cometido pelo candidato Bolsonaro, em toda campanha, fazendo incitação à violência em palanques e até em entrevista de rádio. “No momento em que o candidato diz que vai metralhar petistas, que vai banir todos que não votarem nele do Brasil, entre outras ameaças, está passível de punição. Mas, a justiça não fez nada. Se fosse qualquer uma pessoa do PT, ou Haddad que fizesse isso, já estaria processado, ou preso”, destacou.

Frei Anastácio lamentou ainda que partes da Justiça e do Ministério Pública estejam engajadas nesses atos que ferem à democracia brasileira. “O Congresso tirou Dilma por pedaladas fiscais. Depois a justiça condenou e prendeu Lula diante de uma sentença por suposição de que um apartamento seria reformado para ele. Tudo isso, para tentar enterrar o PT. Agora, na reta final da eleição, todos estão vendo a virada iminente de Haddad e não se conformam. Estão usando da força e do poder da caneta para calar a livre expressão de entidades formadas por pessoas que querem um Brasil melhor”, concluiu.

Até agora tiveram atividades interrompidas, material apreendido, foram notificadas pelo MP ou receberam a visita da Polícia as seguintes universidades públicas:

  1. UFRRJ,
  2. UFPB,
  3. UERJ,
  4. UFU
  5. UFAM
  6. UCP
  7. UniRio
  8. UEPB
  9. UFMG
  10. UFG
  11. UNEB
  12. UCP
  13. UFMS
  14. UFRJ
  15. UFERSA
  16. Unilab
  17. UFF
  18. Unifei
  19. UFBA
  20. UFCG
  21. UFMT
  22. UENF
  23. UEPA
  24. UFGD
  25. UNESP Bauru
  26. UFSJ
  27. UFRGS
  28. UFFS
  29. IFB

Leia também