IMG-20191207-WA0002

O deputado federal Frei Anastácio (PT/PB) criticou a decisão  do governo federal que revogou  três portarias  que determinavam o rastreamento, identificação e marcação de armas e munições de forma mais rígida. 

“Com a revogação das portarias, o processo de investigação para chegar às milícias e combater o crime organizado será dificultado. E sem uma investigação rígida e um mapeamento de onde atuam essas milícias, haveŕa uma folga para que o crime organizado continue crescendo no Brasil. Essa é uma situação muito preocupante”, disse Frei Anastácio.

As portarias as quais o deputado se refere são as de número 46, 60 e 61 do Comando Logístico (Colog).

Ação protege criminosos

 “Agora, ficará mais difícil saber onde atuam facções criminosas, pois a identificação  e as marcações dessas armas continuarão de forma ineficiente. Para se ter uma ideia, com informações precisas é possível chegar aos criminosos analisando as munições usadas em determinado crime. Agora, isso se tornará mais difícil”, apontou o parlamentar.

Frei Anastácio diz ainda que é preocupante o Brasil ter um sistema de rastreio falho, pois isso fará com que mais criminosos tenham um maior número de armas impossíveis de rastreamento.

“Essas medidas do presidente facilitarão até possíveis desvios de armas e munições da própria polícia. No geral, com a revogação dessas portarias, o crime organizado será estimulado e a investigação prejudicada”, finalizou o deputado.  

       

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here