O deputado federal Frei Anastácio disse, hoje (01), que o protesto e paralisação das atividades dos trabalhadores por aplicativo, em todo o Brasil, já é reflexo da reforma da Previdência que permite esse tipo de precarização do trabalho e exploração da mão de obra pelas empresas.

“Eles têm todo meu apoio e solidariedade. O Congresso Nacional precisar criar leis para proteger essa categoria tão importante para a vida dos brasileiros. Eles estão enfrentando muita humilhação no trabalho e nenhuma valorização, nem proteção. É uma exploração escrava da mão de obra”, disse o deputado.

O parlamentar destaca que, entre as reivindicações, da categoria pede maior transparência sobre as formas de pagamento adotadas pelas plataformas, aumento dos valores mínimos para cada entrega, mais segurança e fim dos sistemas de pontuação, bloqueios e “exclusões indevidas”. “Na Paraíba, não houve manifestação. Os dirigentes da categoria informaram que ficaram temerosos de perder os empregos, diante desse momento difícil que o país enfrenta”, destacou.

“A grande maioria desses trabalhadores é formada por pessoas que perderam o emprego formal, e se submeteram a esse tipo de serviço. Com isso, ficam reféns das empresas que pagam no máximo centavos por quilômetro rodado, ou R$ 1,00 por entrega, como é o caso da Paraíba. Enquanto isso, as empresas faturam alto. Esses trabalhadores que mostraram ser um serviço essencial, sobretudo, agora na pandemia, precisam de atenção do poder público, do Congresso Nacional e da Justiça brasileira. O Congresso nacional tem que aprovar leis específicas para proteger esses trabalhadores e trabalhadoras”, disse o deputado.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here