Frei Anastácio diz que desembargador do trabalho fere direitos de trabalhadores rurais

O deputado estadual Frei Anastácio (PT-PB) registrou, hoje (08), no plenário da Assembleia Legislativa, que oito trabalhadores rurais que estavam presos injustamente no município de Itabaiana, foram liberados pela justiça. Segundo o parlamentar, a ação que provou a prisão foi movida pelo desembargador do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), Paulo Maia, alegando que os posseiros que vivem na fazenda há mais de 80 anos, estão invadindo as terras. “Os trabalhadores têm direitos garantidos e o desembargador Paulo Maia não respeita esses direitos, logo ele, um operador da justiça”, denunciou Frei Anastácio.

De acordo com o parlamentar, a justiça liberou os trabalhadores  por entender que não havia elementos fundamentais para eles permanecerem presos. O deputado também argumentou que o desembargador está mentindo sobre a alegação de que suas terras foram invadidas e que na fazenda vivem muitas famílias. Ao todo são mais de cem famílias, que vivem em cerca de mil hectares de terras, há mais de 80 anos. “Essas famílias deram a vida trabalhando nas terras da fazenda. No ano passado, o desembargador Paulo Maia impediu que elas continuassem realizando suas plantações, sem reconhecer nenhum direito adquirido”, ressaltou o parlamentar.

Frei Anastácio disse que os trabalhadores estão resistindo e continuam plantando para sobreviverem, mas que o desembargador não aceita e entrou com um processo contra eles acusando-os de invasão. “Felizmente, a justiça reconheceu que esse absurdo cometido pelo desembargador Paulo Maia”, frisou o deputado.

A atuação do deputado, que atua como Presidente da Comissão dos Direitos Humanos e Minorias, juntamente com a ação da Comissão Pastoral da Terra e a assessoria jurídica, garantiram a liberdade dos trabalhadores. “Quero parabenizar a atuação dos advogados da Comissão Pastoral da Terra, que contribuíram para a promoção de justiça em favor de oito inocentes que trabalham de sol a sol para tirar o sustento de suas famílias”, afirmou Frei Anastácio.

Leia também