O deputado federal Frei Anastácio (PT/PB) disse que medidas tomadas por Bolsonaro, em sua política armamentista, são responsáveis por facilitar crimes cometidos com armas de fogo no Brasil, já que metade de todo arsenal adquirido em sua gestão não pode ser rastreado, inclusive, armas pesadas que circulam livremente pelo país.

“Atualmente, é muito difícil conseguir dados nos órgãos controladores sobre compras de armas feitas pelos caçadores, atiradores e colecionadores. Em 2020, essa foi a categoria mais beneficiada no Governo Bolsonaro com os decretos de flexibilização para aquisição de armas”, comentou.

De acordo com o deputado, os órgãos controladores evitam que as armas compradas sejam repassadas para milícias e traficantes. Mas um dos órgãos controladores, chamado de Sigma, ainda não foi incorporado ao sistema da Polícia Federal.

“Estima-se que a categoria dos CAC’s tenha 561.331 armas. E isso tem preocupado especialistas e instituições que defendem um maior controle sobre armas, já que com a dificuldade de controle, essas armas podem ser repassadas para criminosos”, alertou.

Em um ano, de 2019 para 2020, no governo Bolsonaro, o número de CAc’s com registro subiu 43%. “Não é um aumento normal. Isso é resultado da política armamentista de Bolsonaro. A combinação do aumento de aquisição de armas e do difícil acesso aos dados de quem está comprando não pode ser boa. É uma informação que deve deixar autoridades e população em estado de alerta”, concluiu.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here