Frei Anastácio diz que Ministério Público deve desculpas a Lula, depois de denúncias sem provas

 

PRINCIPAL

 O deputado estadual Frei Anastácio (PT) disse agora à tarde, após a entrevista coletiva concedida pelo ex-presidente Lula, que o Ministério Público Federal deve desculpas a Lula e sua família, ao se referir às acusações feitas pelos procuradores federais, em entrevista coletiva realizada ontem, onde acusaram o petista de comandante do esquema de corrupção na Petrobrás.

Segundo o deputado, “não dar para entender como “homens promotores do Direito” vão a uma coletiva de imprensa dizer que não têm provas, mas possuem convicção” contra um ex-presidente. Isso é uma tentativa vergonhosa e desesperada de retirar Lula do cenário político. “É preciso dizer que essa ação dos procuradores, envergonha qualquer estudante de direito, qualquer pessoa que tem o menor senso do que é acusar alguém”, afirmou o deputado.

De acordo com o deputado, estão querendo ampliar o golpe, que foi dado contra a democracia com a saída de Dilma Rousseff. “O que estamos presenciando é uma situação muito grave para o país. Procuradores condenando alguém perante a opinião pública, sem apresentar uma provinha se quer e, mesmo assim, querendo a condenação na justiça apenas pela convicção. Acho que aquela entrevista coletiva abalou as estruturas do Ministério Público Federal. Foi uma espetacularização ridícula de agentes públicos do direito”, afirmou.

Processo contra procuradores

Os advogados de Lula já entraram com ação no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) pedindo apuração do que os procuradores fizeram. “Esperamos que o CNMP, salve a reputação do Ministério Público punindo essa ação nefasta dos procuradores que acham que podem tudo, até mesmo sem o amparo das provas”, disse o deputado.

Mídia golpista

Frei Anastácio também criticou as grandes redes de TV, que não transmitiram nenhuma palavra da coletiva de Lula, ao vivo, como fizeram com as denúncias de “convicção” dos procuradores. Quem quis ver a entrevista, teve que recorrer à Internet. “Isso, em si, já mostra o cenário tendencioso da mídia golpistas. Onde está o bom jornalismo que dizem fazer?. Agora, com certeza, irão dar uma versão editada à noite, da forma como eles querem, para valorizar as acusações vazias dos procuradores”, lamentou o deputado.

Leia também