O deputado federal Frei Anastácio (PT/PB) afirmou que o dia 31 de março de 1964 é uma data para ser lembrada com luto e tristeza. “Essa data marcou um período de 21 anos de um Brasil sem liberdade. Mas, infelizmente, o país tem um presidente que recorreu à justiça para comemorar a data. Isso é um ultraje à memória das vítimas daquele golpe que maculou a nossa história”, disse o deputado.

Frei Anastácio lembra que houve perseguição contra as igrejas, contra a mídia, ocorreram torturas, desaparecimento de pessoas e mortes de forma desenfreada. “Eu vivi aquele pesadelo e sei como foi tenebroso. Mas, o presidente da República quer fazer comemoração a tudo isso”, destacou.

O parlamentar disse ainda que além de querer comemorar essa data, Bolsonaro tenta de todas as maneiras induzir as forças armadas a uma nova investida. “Foi o que ele fez com a tentativa de obter apoio do ministro da defesa para implantar o Estado de Sítio no Brasil. Felizmente, o ministro da defesa, além dos comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutico disseram ‘não’ a esse presidente genocida”, relatou. 

O congressista ressaltou ainda que o Supremo Tribunal Federal (STF) precisa reinterpretar sua decisão, e não permitir que Bolsonaro comemore o dia 31 de março de 1964, como se fosse uma data de festa. A memória do país agradece. “Não se comemora tortura. Democracia, sim, Ditadura Nunca Mais”, afirmou.

Frei Anastácio lembrou que “durante 21 anos, vivemos num país sem liberdade. O Congresso foi fechado, mandatos eletivos foram cassados, os direitos políticos foram suspensos, juízes e funcionários públicos foram demitidos, a arte e a cultura foram ameaçadas. Não é possível comemorar isso”, disse.

Desprezo à pandemia

O parlamentar enfatizou que em vez de tentar dar golpe na democracia, Bolsonaro deveria estar preocupado com a pandemia no Brasil. “O país já ultrapassou os 315 mil mortos pela Covid-19. Ele deveria estar preocupado com a concessão de um auxílio emergencial de R$ 600 reais, vacinação em massa, mais  UTIs, e oxigênio. Mas, não. Depois de 57 anos do golpe, esse presidente genocida está preocupado em enaltecer a data, decretar autogolpe para se beneficiar e menospreza o luto da pandemia. O Congresso Nacional tem que agir. Não é mais possível suportar um presidente desse. Impeachment, já”, concluiu.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here