O deputado federal Frei Anastácio lamentou os resultados da política negacionista e genocida de Bolsonaro, ao citar estudo que mostra a existência de 130 mil crianças brasileiras que já ficaram órfãs de pais ou avós durante a pandemia, vítimas de Covid-19. “O pior é que ainda não existe nenhuma política pública direcionada para acolher essas crianças, que ficaram sem a proteção financeira e afetiva”, disse o deputado.

O parlamentar argumentou que são crianças que levarão para sempre as consequências das decisões de Bolsonaro. “Ao minimizar a pandemia e recusar propostas de compras de vacinas, Bolsonaro tirou não só a vida de milhares de pessoas, mas também deixou sequelas na vida dos que ficaram vivos e terão que lidar com a saudade e o trauma pela morte precoce de seus parentes”, lamentou.

Frei Anastácio lembrou que é importante que a sociedade e organizações se unam para cobrar do Governo políticas públicas de apoio e acompanhamento dessas crianças. “De acordo com especialistas, essas crianças podem sofrer efeitos adversos tanto de curto quanto de longo prazo. Entre as consequências apontadas, estão aumento do risco de doenças, problemas de saúde mental, abuso físico, violência sexual e gravidez na adolescência”, alertou.

O deputado lembra que é preciso criar uma rede de apoio e políticas que estimulem a adoção, que incentivem a manutenção dessas crianças nas escolas e ainda a criação de um incentivo financeiro. “Na Paraíba, já foi criado um auxílio no valor de R$500 para órfãos da Covid-19, agora espera aprovação da Assembleia Legislativa. O Governo Federal deveria se inspirar nesse exemplo e também garantir apoio financeiro para essas crianças”, sugeriu.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here