O deputado federal Frei Anastácio (PT/PB) lamentou que apesar da luta dos partidos de oposição, a Câmara concluiu, ontem à noite (21), a aprovação das emendas feitas pelo Senado à Medida Provisória 1031/21 de Bolsonaro, que permite a privatização da Eletrobrás. “Além de provocar aumento de quase 17% na conta de luz, essa privatização trará prejuízo de R$ 400 bilhões para o país, segundo estimativa da Fiesp”, alertou o deputado.

Frei Anastácio disse que “não dá para entender como uma empresa que gera lucro de R$ 10 bilhões, por ano, apenas através das usinas, sem falar nas redes de transmissão, é privatizada pelo governo. É uma manobra descarada do governo Bolsonaro para entregar a maior empresa de energia elétrica da América latina, para o capital privado. Bolsonaro massacra o povo para agradar o setor privado”, disse.

O parlamentar também criticou o entreguismo do governo. “É uma irresponsabilidade tremenda desse governo, privatizar uma empresa avaliada em R$ 370 bilhões e colocar à venda por apenas R$ 25 bilhões. Ou seja, em menos de dois anos, o comprador recuperará o dinheiro da venda apenas com o lucro. Não tem como não ficar revoltado com uma situação dessas. A Eletrobrás é responsável pela geração de 30% da energia gerada no Brasil. É uma empresa estratégica para o país, jamais poderia ser privatizada”, afirmou.

Demissões

Frei Anastácio destacou ainda que além de provocar aumento nas taxas do consumo de energia da população, a privatização da Eletrobrás vai prejudicar 15.600 funcionários, com demissões e precarização do trabalho.  “Essa é mais uma ação criminosa desse governo destruidor. A Eletrobrás controla 233 usinas, com mais de 70 mil quilômetros de linhas de transmissão. A privatização trará prejuízos para todos os brasileiros. De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a privatização da Eletrobrás pode elevar a conta de luz em até 16,7%, logo num primeiro momento.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here