Frei Anastácio diz que vai votar na Loa de acordo com parecer do relator

O vice-presidente da Comissão de Orçamento da Assembleia Legislativa, Frei Anastácio (PT), disse que se posicionará em relação à Lei Orçamentária Anual (Loa) do governo do estado, nesta segunda-feira (13), votando de acordo com o parecer do relator da matéria. “Espero que o governo do estado tenha corrigido os erros que cometeu. Só assim, estaremos aprovando a Loa”, disse o deputado.

O parlamentar afirmou que o governo estava retirando 16,5 milhões da saúde, para corrigir a injustiça que cometeu com Defensoria Púbica. “Eram R$ 6,5 milhões destinados à manutenção dos hospitais de Mamanguape R$ 2 milhões que seriam retirados do hospital de emergência e trauma de Campina Grande, além de R$ 8 milhões do Fundo Estadual da Saúde, que eram destinados à construção e ampliação de unidades de saúde no estado. Isso, nós jamais iríamos aceitar”, destacou.

Agenda no interior

Durante o final de semana, o deputado cumpriu agenda nos municípios de Massaranduba, Lagoa Seca, Queimadas, Matinhas, Santa Rita, Conde, Alhandra, Caaprorã e participou do programa de rádio Caturité Rural, em Campina Grande, onde fez um balanço das ações do mandato dele em 2013.O programa é dirigido pelo Polo Sindical da Borborema.

Nas outras cidades, o parlamentar esteve participando de reuniões com lideranças do PT, representantes de sindicatos rurais, associações, igreja, movimentos sociais, além de realizar visitas a vários acampamentos e assentamentos da reforma agrária.

Reclamação do povo

Em vários municípios, o deputado relatou que as reclamações das lideranças são em relação à falta de água, insegurança e estradas esburacadas. “Terminamos 2013 com essas insatisfações do povo, e entramos no ano novo com esses problemas sem solução por parte do governo”, disse.

O parlamentar informou que em Massaranduba, a reclamação pela falta de segurança é a mesma do ano passado. Ele constatou que ainda tem gente se mudando da zona rural para a cidade, temendo os assaltos. “Outra reclamação recorrente é em relação às péssimas condições da estrada que liga Serra Redonda e Massaranduba à BR-230. Tem muito buraco. Está uma lástima e nada é feito para resolver o problema”, disse o deputado.

Frei Anastácio destacou ainda, a reclamação da comunidade Chã do Marinho, que tem mais de mil habitantes, na zona rural de Lagoa Seca. “Esse povo todo vive sem água. O abastecimento é feito pelo Exército e prefeitura, através de carro pipa. Às vezes, as famílias passam até três dias sem abastecimento nenhum. Isso é um absurdo”, lamentou.

O petista disse que durante todas as visitas, umas das cenas que mais o agradaram foram as plantações grícolas realizadas em vários acampamentos. “Mesmo sem receber, ainda, nenhum incentivo do governo, as famílias de acampamentos como Wanderley Caixe, Nova Esperança e Oliveira Pinto, em Caaporã, e 15 de novembro, no distrito de Livramento, em Santa Rita, por exemplo, estão com muita plantação. Isso mostra a força de trabalho daquelas famílias que esperam pela desapropriação das terras para produzir mais ainda”, disse o deputado.

Leia também