IMG-20200409-WA0002

 

O deputado federal Frei Anastácio é coautor do requerimento, apresentado na Câmara, solicitando a criação de uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI), para investigar as denúncias de fraude na campanha eleitoral para Presidência da República, no ano de 2018, oportunidade em que se sagrou vencedor Jair Messias Bolsonaro.

“Diante das constatações massivas das fake News, financiamento ilegal de empresários, vazamento de informação pelo então juiz Sérgio Moro, para prejudicar o candidato do PT, retardamento da operação “furna da onça” – que atingiria o filho do presidente nas denúncias de rachadinhas, durante pleito eleitoral -, ataques feitos de forma orquestrada, através do chamado “gabinete do ódio” com sucursais em vários estados, inclusive na Paraíba, está claro que houve fraude nas eleições”, disse o deputado Frei Anastácio.

Fatos concretos

No requerimento de pedido de CPMI, os deputados autores afirmam que não há dúvidas das fraudes. O requerimento destaca que as denúncias relatadas, além de serem fatos determinados, possuem nomes dos envolvidos, datas dos acontecimentos e descrição da narrativa. “Tudo isso mostra que pode ter havido grande influência na escolha do chefe do Poder Executivo Federal, nas eleições de 2018. As Fake News são uma das provas, inclusive alvos de operação feita por determinação do próprio STF”, disse Frei Anastácio.

O requerimento enfatiza que o Congresso Nacional, enquanto guardião do regime democrático deve promover análise autônoma acerca da ocorrência destes, buscando perceber se, de alguma forma, as eleições Presidenciais tiveram influência irregular e, ao fim, responsabilizar aqueles que tenham atuado de forma incompatível com o ordenamento jurídico brasileiro.

O requerimento é assinado pelos deputados Enio Verri (PT), Frei Anastácio (PT), Rogério Carvalho (PT), Alessandro Molon (PSB), André Figueiredo (PDT), Carlos Zarattini (PT), Fernanda Melchionna (PSOL), Joenia Wapichana (REDE), José Guimarães (PT), Perpétua Almeida (PC do B), Wolney Queiroz (PDT) e outros.

 

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here