Foto-Gabriel-Paiva-Frei1

O deputado federal Frei Anastácio (PT/PB) afirmou que votou contra o congelamento de salários de servidores públicos, determinado pelo Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus (PLP39/20) aprovado, ontem (5) pela Câmara, por entender que o servidor público não é obrigado a pagar conta do Governo. “Enquanto penaliza servidores públicos, o Governo beneficia bancos com muito dinheiro”, disse o deputado.

Frei Anastácio destacou que “é a favor da ajuda financeira de R$ 125 bilhões para estados, Distrito Federal e municípios. Porém, como defensor da classe trabalhadora, jamais poderia votar contra os servidores públicos. Essa categoria, tão marginalizada pelo ministro da economia, Paulo Guedes e por Bolsonaro, tem grande parcela de contribuição com o desenvolvimento do Brasil”, disse o deputado.

Depois de muito debate, o parlamentar disse que foi possível retirar do congelamento salarial, os profissionais da educação, da segurança pública, saúde e servidores da defesa agropecuária. “Dificilmente, depois dessa pandemia será possível se conceder aumento salarial nas esferas federal, estadual e municipal. Mas, proibir que isso aconteça é inadmissível”, afirmou.

Benefícios para bancos

Frei Anastácio relatou que enquanto o Governo Federal destina R$ 1,3 trilhão para os bancos, insiste em prejudicar os servidores públicos com o congelamento de salários. “Como sabemos, nos estados e municípios a grande maioria dos funcionários tem salários baixos. Proibir qualquer tipo de reajuste é uma forma cruel de penalizar o funcionalismo público”, concluiu.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your name here

Please enter your comment!