Frei Anastácio lamenta morte de sindicalista de Lagoa Seca

O deputado estadual frei Anastácio apresentou voto de pesar, hoje (3), na Assembleia Legislativa, pelo falecimento do sindicalista Celestino Pereira da Silva (Paizinho Calisto), ocorrido ontem no município de lagoa Seca. O pai de Nelson Anacleto, presidente da Câmara de Vereadores de Lagoa Seca, morreu de enfarte, aos 81 anos de idade e deixou a marca de ter sido um dos fundadores dos sindicatos dos trabalhadores rurais de Campina Grande e Lagoa Seca.

Segundo Frei Anastácio, Paizinho Calisto viveu e lutou, ardentemente, pelos ideais das Ligas Camponesas, nos anos sessenta. Como agricultor, ele participou das lutas sindicais por melhores condições de trabalho para os camponeses e pela reforma agrária, já que sentia na pele as dificuldades da época.

“O exemplo de vida de Paizinho Calisto foi tão significativo que teve um seguidor: o filho dele, Nelson Anacleto. Antes de ser vereador, Nelson impulsionado pelo legado do pai, dirigiu o sindicato dos trabalhadores Rurais de Lagoa Seca, foi vice-prefeito do município, participou da fundação do Pólo Sindical da Borborema e hoje é presidente da Câmara de Vereadores de Lagoa Seca”, destacou o deputado.

Segundo Frei Anastácio, Paizinho Calisto se foi. Mas, deixou frutos importantes de sua luta travada ao lado de outros companheiros, a exemplo de melhores condições de trabalho e terra para plantar. Frutos conseguidos com suor, lágrimas e sangue que não podem sem esquecidos. “O que fiz na Assembleia é uma homenagem justa a um homem que plantou a boa semente que ainda hoje dar frutos”, enfatizou. O sepultamento de Paizinho Calisto vai ser realizado 16h, desta terça-feira, em Lagoa Seca.

Leia também