No aniversário de Bayeux, comemorado nesta quarta-feira (15), o deputado federal Frei Anastácio (PT/PB) parabeniza o município e confirma o repasse de R$ 400 mil em emendas parlamentares para o município. “Parabéns a todos que fazem parte desse município. Como deputado federal, reafirmo meu compromisso de continuar ajudando a população”, afirmou.

O parlamentar explicou que as emendas parlamentares do mandato dele foram destinadas à Saúde Básica (R$ 300 mil) e  políticas para as mulheres (R$100 mil).

O parlamentar aproveitou a data também para agradecer à população de Bayeux, pelo reconhecimento dado a ele nas urnas, em sua eleição para deputado federal. “Agradeço de coração a todos e todas que contribuíram de alguma forma, para minha eleição como deputado federal. Desejo ao povo de Bayeux muitas prosperidades, e esperamos que 2022 seja um ano bem melhor que 2021. Feliz natal e um ano novo cheio de bênçãos”, disse.

A história de Bayeux

(Fonte: portal da Prefeitura)

A colonização do município de Bayeux, localidade outrora denominada Barreiros, está muito ligada às histórias de João Pessoa e Santa Rita. Em 1585 foi fundada a cidade de Filipeia de Nossa Senhora das Neves e anos mais tarde foi iniciado o povoado de Santa Rita. Bayeux, no meio das duas localidades sofreu influência dessas colonizações. A povoação, então distante quatro quilômetros de Filipeia, começou com o nome de Rua do Baralho. Depois, Boa Vista e, em 1634, Barreiros — nome em decorrência do engenho de Barreiros. Sobre tal engenho, há uma citação no livro Diálogos das grandezas do Brasil’, de 1610, do escritor Ambrósio Fernandes Brandão.

Fora do Varadouro, subindo o rio [Paraíba] durante uma meia hora, chega-se ao primeiro engenho chamado os Barreiros, que quer dizer sitio onde há muito barro, e aí se costuma cozer muitos vasos e telhas para a coberta das casas. O dono deste engenho era um tal Domingos Carneiro; mas como, antes da conquista [da Paraíba pelos neerlandeses], ele partiu para Portugal, declarou-se confiscado o seu engenho para a Companhia [das Índias Ocidentais], e o Supremo Concelho o vendeu a um mercador de Amsterdam chamado Josias Marscha), que é presentemente o seu dono. Quase confronte a este engenho, rio acima, desemboca o Iniobi (Inoby) no Paraíba (…)

O Decreto-Lei estadual nº 546, de 21 junho de 1944, sugestão do então jornalista Assis Chateaubriand ao interventor do estado na época, Rui Carneiro, modificou finalmente o nome para Bayeux em homenagem à primeira cidade francesa (de mesmo nome) a ser libertada do poder nazista pelos aliados durante a Segunda Guerra Mundial. Já a elevação à categoria de distrito ocorreu através da lei municipal nº. 48, de 10 de dezembro de 1948. Bayeux pertenceu ao município de Santa Rita até então, quando finalmente adquiriu o status de município pela Lei no. 2.148, de 28 de junho de 1959. A instalação oficial do município se deu no dia 15 de dezembro de 1959.

Sua principal artéria urbana é a Avenida Liberdade, cujo nome também remete a libertação da referida cidade francesa do poder nazista.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here