No aniversário de Bayeux, comemorado nesta terça-feira (15), o deputado federal Frei Anastácio (PT/PB) parabeniza o município e confirma o repasse de R$ 450 mil em emendas parlamentares para o município. “Parabéns a todos que fazem parte desse município. Como deputado federal, me comprometo a continuar ajudando a população”, afirmou.

Frei Anastácio explicou que as emendas destinadas para Bayeux, pelo mandato dele, são para a saúde (R$ 200 mil) e para a habitação popular. A emenda para habitação, no valor de R$ 250, mil, é fruto de uma reivindicação do Movimento Nacional de Luta por Moradia/PB, que tem a meta de construir mais de 100 casas na cidade. “Esses recursos foram repassados para a Companhia Estadual de Habitação Popular (Cehap), que construirá as habitações dentro do planejamento do movimento”, explicou o deputado.

O parlamentar aproveitou a data também para agradecer à população de Bayeux, pela votação obtida em sua eleição para deputado federal. “Agradeço de coração a todos e todas que contribuíram de alguma forma, para minha eleição como deputado federal. Desejo ao povo de Bayeux muitas prosperidades, e esperamos que 2021 seja um ano bem melhor que 2020. Feliz natal e um ano novo cheio de bênçãos”, disse.

A história de Bayeux (Fonte: portal da Prefeitura)

A colonização do município de Bayeux, localidade outrora denominada Barreiros, está muito ligada às histórias de João Pessoa e Santa Rita. Em 1585 foi fundada a cidade de Filipeia de Nossa Senhora das Neves e anos mais tarde foi iniciado o povoado de Santa Rita. Bayeux, no meio das duas localidades sofreu influência dessas colonizações. A povoação, então distante quatro quilômetros de Filipeia, começou com o nome de Rua do Baralho. Depois, Boa Vista e, em 1634, Barreiros — nome em decorrência do engenho de Barreiros. Sobre tal engenho, há uma citação no livro Diálogos das grandezas do Brasil’, de 1610, do escritor Ambrósio Fernandes Brandão:

Fora do Varadouro, subindo o rio [Paraíba] durante uma meia hora, chega-se ao primeiro engenho chamado os Barreiros, que quer dizer sitio onde há muito barro, e aí se costuma cozer muitos vasos e telhas para a coberta das casas. O dono deste engenho era um tal Domingos Carneiro; mas como, antes da conquista [da Paraíba pelos neerlandeses], ele partiu para Portugal, declarou-se confiscado o seu engenho para a Companhia [das Índias Ocidentais], e o Supremo Concelho o vendeu a um mercador de Amsterdam chamado Josias Marscha), que é presentemente o seu dono. Quase confronte a este engenho, rio acima, desemboca o Iniobi (Inoby) no Paraíba (…)

O Decreto-Lei estadual nº 546, de 21 junho de 1944, sugestão do então jornalista Assis Chateaubriand ao interventor do estado na época, Rui Carneiro, modificou finalmente o nome para Bayeux em homenagem à primeira cidade francesa (de mesmo nome) a ser libertada do poder nazista pelos aliados durante a Segunda Guerra Mundial. Já a elevação à categoria de distrito ocorreu através da lei municipal nº. 48, de 10 de dezembro de 1948. Bayeux pertenceu ao município de Santa Rita até então, quando finalmente adquiriu o status de município pela Lei no. 2.148, de 28 de junho de 1959. A instalação oficial do município se deu no dia 15 de dezembro de 1959.

Sua principal artéria urbana é a Avenida Liberdade, cujo nome também remete a libertação da referida cidade francesa do poder nazista.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here