O deputado federal Frei Anastácio (PT/PB) manifestou os parabéns aos parteiros (as), enfermeiros (as), técnicos (as) e auxiliares de enfermagem pela passagem do Dia Internacional da Enfermagem. “Hoje, 12 de maio, Dia Internacional da Enfermagem é, mais do que nunca, um dia de luta. Uma luta justa por direitos que são negados a esses profissionais ao longo de sua história”, disse o deputado.

Frei Anastácio ressaltou que “chega de tapinhas nas costas e dizer apenas que a enfermagem é formada por heróis e heroínas. Quem cuida, também merece cuidados. Esses profissionais precisam de salários dignos e de uma carga horária de trabalho justa. São categorias de trabalhadores e trabalhadoras que sacrificam a vida para cuidar de vidas e merecem todo reconhecimento”, disse.

Audiência pública

O parlamentar lembrou que em 2019, o mandato dele  realizou uma audiência pública na Câmara Federal para debater a carga horária das 30 horas para enfermagem e o projeto de Lei 2.295/2000, que foi aprovado pelo Senado e ficou engavetado. “O assunto estava adormecido e nós, a pedido do Coren da Paraíba, trouxemos o problema para as discussões”, lembrou.

O congressista disse que a audiência foi uma das maiores já realizadas na Câmara, com participação de profissionais de todo o Brasil. “Diante da repercussão da audiência, o então presidente da Casa, Rodrigo Maia, prometeu colocar o projeto das 30 horas em votação, mas não cumpriu com a promessa”, lamentou.

O petista relatou que o projeto 2.295/2000 foi aprovado pelo Senado e está engavetado na Câmara há 21 anos. “Na verdade, existe um lobby muito forte de empresários da saúde contra a luta da enfermagem. Eles querem que essa exploração desumana continue absorvendo a vida da enfermagem. A grande maioria dos profissionais é obrigada a trabalhar em vários locais para aumentar a renda, diante dos baixos salários que recebem”, disse.

Luta fortalecida

Frei Anastácio comemorou que agora com o projeto de Lei 2.564/2020, do Senado Federal, a luta ganha nova força. Segundo ele, o projeto estabelece um piso salarial digno  e uma carga horária justa para a enfermagem. Ele disse que vários senadores estão mobilizados para que o projeto seja votado em regime de urgência.

“Diante do trabalho que a enfermagem vem fazendo nessa pandemia, se o Congresso Nacional não aprovar esse projeto será uma covardia. Todo Brasil sabe que a enfermagem é que leva a rede de saúde sobre os ombros. Chega de tapinhas nas costas. Vamos aprovar as 30 horas e um piso salarial justo. Contem comigo e com o nosso mandato nessa luta justa. Viva a enfermagem”, concluiu.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here