O deputado federal Frei Anastácio participou, nesta terça-feira (3), de um ato de apoio ao candidato a prefeito de João Pessoa, Anísio Maia, a presidente municipal afastada, Giucélia Figueiredo, o advogado Anselmo Castilho e o professor Josenilton Feitosa que foram ameaçados de expulsão do PT, pela direção nacional da legenda, por abraçarem o projeto de candidatura própria do partido, em João Pessoa. A plenária foi realizada na sede do Diretório Estadual do Partido.

Durante o ato, os militantes divulgaram um manifesto de apoio aos quatro petistas que estão sob ameaça de expulsão. A nota diz que “são ultrajantes os argumentos de que uma candidatura do Partido dos Trabalhadores poderia estar a serviço dos interesses da direita. Este entendimento, além de desconhecer a realidade local, vilipendia não apenas aos companheiros e companheira já citados, mas, a cada militante petista na Paraíba”. 

No manifesto também foi reafirmado que a candidatura de Anísio Maia seguirá firme, conforme foi decidido na convenção municipal. “Nós, militantes do Partido dos Trabalhadores de toda a Paraíba, reafirmamos nossa solidariedade e apoio à candidatura do companheiro Anísio Maia à Prefeitura de João Pessoa. Sua candidatura foi construída coletivamente, seguindo as diretrizes da Direção Nacional para as candidaturas nas capitais e com o apoio unânime da instância municipal”.

 Leia o manifesto na íntegra.

Manifesto da Militância petista

Nós, militantes do Partido dos Trabalhadores de toda a Paraíba, reafirmamos nossa solidariedade e apoio à candidatura do companheiro Anísio Maia à Prefeitura de João Pessoa. Sua candidatura foi construída coletivamente, seguindo as diretrizes da Direção Nacional para as candidaturas nas capitais e com o apoio unânime da instância municipal. 

Além disso, a candidatura do companheiro Anísio Maia está em consonância com as deliberações da última reunião do Diretório Nacional que pautou as eleições em João Pessoa. No último dia 15 de setembro, nossa instância nacional deliberou por orientação de alianças com o PCdoB e com o PSB. 

O Partido Socialista Brasileiro tomou outro caminho, fato que aconteceu não apenas em João Pessoa, mas na grande maioria das capitais brasileiras. Porém, recebemos desde o início o apoio fundamental do glorioso Partido Comunista do Brasil, com o nome do companheiro Percival Henriques, candidato a vice-prefeito. 

Não é verdade, portanto, que a candidatura do PT seja um processo isolado de divisionismo do campo democrático e popular. Ao contrário, nenhuma outra candidatura de esquerda na cidade logrou o êxito de formar uma coligação, a não ser a nossa candidatura petista. 

De igual modo, são estarrecedores os argumentos de que o companheiro Anísio Maia seria candidato de si mesmo. Na realidade dos fatos, o companheiro Anísio Maia, fundador do PT e que nunca abandonou nosso partido, emprestou seu nome e sua história para a construção de um projeto político coletivo e que transcende o calendário eleitoral. 

Neste sentido, estendemos à companheira Giucélia Figueiredo e aos companheiros Anselmo Castilho e Josenilton Feitosa, todo nosso apoio e solidariedade. Vocês representam toda a militância autônoma e altiva do PT. Sabemos que seus nomes e suas histórias testemunham uma inquestionável lealdade e dedicação ao Partido dos Trabalhadores.

São ultrajantes os argumentos de que uma candidatura do Partido dos Trabalhadores poderia estar a serviço dos interesses da direita. Este entendimento, além de desconhecer a realidade local, vilipendia não apenas aos companheiros e companheira já citados, mas, a cada militante petista na Paraíba. 

Linha auxiliar da direita serão todas as tentativas de enfraquecer e subordinar o PT. Afinal, como fortalecer a esquerda e campo democrático e popular, anulando e dispersando a militância de um partido a história e importância do PT? 

Nestas eleições, a Paraíba terá apenas 11% de seus municípios com uma candidatura petista disputando o cargo de prefeito ou prefeita, abarcando pífios 13% do eleitorado total do estado. Somos a unidade da federação com a menor quantidade de candidaturas. 

Porém, a ousadia de nossa militância encerra esse processo de definhamento do PT e coloca nosso partido a serviço de todas as lutas de nosso povo contra a direita, a extrema-direita e suas políticas neoliberais. Afinal, o PT não tem dono ou dona. Nosso partido pertence à classe trabalhadora. 

João Pessoa, 03 de novembro de 2020.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here