Frei Anastácio pede que políticos e autoridades da PB defendem moradores e posseiros de Rio Tinto

O deputado estadual Frei Anastácio (PT) solicitou, durante audiência pública na Assembleia Legislativa, ontem (24), que políticos e autoridades da Paraíba se unam para defender  famílias  rurais posseiras de Rio Tinto, ameaçadas de despejo, e a população urbana que é obrigada a pagar imposto a família Lundgren, simplesmente por ter casas na cidade.

“São dois absurdos. Famílias posseiras de Oiteiro de Campina,que moram na fazenda há cerca de 150 anos estarem ameaçadas de despejo e essa obrigação da população urbana pagar foro à família Lundgren que se acha dona de toda área de Rio Tinto. Já é hora de dar um basta nisso”, disse Frei Anastácio.

A Audiência Pública, de autoria do presidente da Assembleia, Gervásio Maia, foi justamente para discutir esses dois assuntos. As galerias e o plenário da Assembleia  ficaram lotados de  moradores de Rio Tinto, posseiros, indígenas e muitas autoridades. “Espero que se a polícia for despejar todas aquelas famílias as autoridades presentes aqui também apareçam lá”, desafiou o deputado.

Frei Anastácio lembrou  que  tem a honra  em dizer que está ao lado dessa luta das famílias de Rio Tinto há 17 anos, pelo direito à moradia e à terra. “Ainda no meu primeiro mandato, juntamente com o ex-deputado Ariano Fernandes, começamos esse apoio a essas famílias de Rio Tinto. Digo isso porque em Abril de 2000, realizamos uma audiência pública em Rio Tinto, no fórum da cidade, já para tratar sobre essas questões. Lá, eu então presidente da Comissão de Desenvolvimento da Assembleia estive representando o Poder Legislativo. O caso vem se arrastando e até agora não houve uma solução em favor dos moradores”, disse o deputado.

De acordo com o parlamentar, é preciso dar um ponto final nesses dois casos. Os moradores já pagaram, com muito sacrifício, essa taxa e hoje merecem a moradia própria. “Repito o que disse naquela época quando começamos essa luta: os moradores têm direitos adquiridos. Além dessa urbana, existe a luta pela terra, em Oiteiro de Campina”, relatou.

Frei Anastácio garante que são gerações de oito famílias que residem naquela área, mesmo antes da mesma ser comprado pelo patriarca dos Lundgren. A propriedade toda é composta por 290 hectares, dos quais apenas 10,5, aproximadamente, estão sendo cultivados pelos agricultores, que tiram da terra sua sobrevivência. “Apesar disso, a família está querendo expulsar as famílias sem nenhum direito”, relatou.

O parlamentar afirma que a tática utilizada é tentar despejar os posseiros, um por um, para enfraquecer o movimento. “São pessoas honestas, íntegras e que não merecem serem tratados desse jeito. É inacreditável que em nome do dinheiro os herdeiros da Família Lundgren façam essa crueldade com idosos, com esses moradores de Rio Tinto. As famílias estão nas terras, por gerações, há cerca de 150 anos”, destacou.

Frei Anastácio afirmou que o mandato dele, ao lado da Comissão Pastoral da Terra, está ao lado de todos. “remos continuar essa luta, inclusive, com nossas assessorias jurídicas e a Assembleia Legislativa não pode se ausentar dessa luta.O deputado Gervásio Maia está de parabéns pela audiência pública realizada. Se essa não ajudar, vamos realizar outras ações e que as discussões não fiquem só entre as quatro paredes”, argumentou.

 

Leia também