Frei Anastácio pede segurança para estudantes e trabalhadores do Distrito de Mangabeira

viagem-ao-sertão-042-380x380

O deputado estadual Frei Anastácio (PT) anunciou na tribuna da Assembleia Legislativa que enviou ofício ao comandante geral da Polícia Militar e para o secretário   de segurança, solicitando policiamento ostensivo na região do distrito Industrial de Mangabeira e no bairro de Quadramares.

Segundo o parlamentar, estudante da Universidade  Federal da Paraíba (UFPB), trabalhadores de um Call Center e moradores daquela região, reclamam da violência e dos assaltos ocorridos durante o dia e à noite. “Os ofícios são solicitando providências no sentido de providenciar ações que visem promover segurança para os trabalhadores  do Call Center que fica no distrito industrial de Mangabeira e do campus da UFPB, que estão enfrentando assaltos”, afirmou o deputado.

Frei Anastácio disse que os trabalhadores da empresa Contax estão sendo assaltados com frequência, durante a noite, nos finais de turnos do Call Center. “Quando eles estão se dirigindo aos pontos de ônibus, os ladrões surgem de moto, bicicleta e atacam os trabalhadores levando seus pertences”, frisou o petista.

O deputado também relatou que segundo os trabalhadores, já houve até casos de espancamento de vítimas, durante os assaltos, e pessoas que já sofreram quatro assaltos. Os relatos são de que as vítimas também não estão prestando queixa na polícia, temendo represálias. Muitas pessoas vão esperar seus familiares na saída do estabelecimento, para tentar evitar os assaltos.

Os estudantes da UFPB afirmam que à noite estão mais vulneráveis, já que o campus fica mais recuado da avenida principal e que temem a ação dos bandidos. “Já no campus da UFPB, que fica também no distrito industrial, os assaltos ocorrem durante a chegada dos estudantes, no início da noite, e, na saída às dez da noite”, relatou Frei Anastácio.

Para Frei Anastácio, o quadro se agrava por causa da pouca regularidade dos ônibus. “Alguma pessoas que não suportam esperar o ônibus por mais de uma hora, vão a pé até a entrada de Mangabeira e nesse percurso são assaltados”, complementou.

Leia também