O deputado federal Frei Anastácio reafirmou, em pronunciamento na Câmara, sua posição de defender o Magistério, ao votar contra a tentativa de manobra do governo Bolsonaro de acabar com o piso salarial de salário dos professores. “Por apenas três votos de maioria, conseguimos impedir que o projeto fosse direto para a sanção do presidente”, comemorou.

O parlamentar disse que se o projeto fosse sancionado como está, todo o magistério teria o salário corrigido apenas pelo INPC (Índice Nacional de Preço ao Consumidor) sem nenhum ganho real. “É isso que Bolsonaro vem tentando desde a votação do novo Fundeb. Ele está reduzindo os recursos para a educação, a cada ano, e quer também atacar os profissionais da educação”, disse.

O parlamentar explicou que o recurso que impediu o projeto ir para sanção presidencial, obriga a Câmara reapreciar o projeto de lei. “Tivemos uma primeira vitória. No dia da apreciação, vamos nos unir novamente para impedir que os governistas aprovem esse crime contra o magistério. Vamos lutar para impedir que esse destruidor do Brasil avance com mais esse ataque”, conclamou.

O parlamentar explicou que com esse tipo de correção que o governo quer, destruiria a revisão anual do piso nacional. “Com a reformulação que foi realizada com aprovação do novo Fundeb, o reajuste para o piso do magistério deverá ser bem maior que o INPC, e Bolsonaro não quer isso. Ele não gosta de educação, nem de professor”, disse.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here