O deputado federal Frei Anastácio (PT/PB) repudiou e acusou o governo Bolsonaro de aplicar mais um ataque mortal contra a ciência, com a manobra que faz corte de 90% dos recursos dos créditos suplementares, que inviabilizam o pagamento de bolsas pelo CNPq, fato criticado e lamentado pela comunidade científica do país.

“Bolsonaro cortou 90% dos R $690 milhões que estavam previstos para apoio à pesquisa por parte do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Com essa medida, feita através de modificação ao Projeto de Lei Complementar 16 (PLN), Bolsonaro estanca a pesquisa no Brasil”, disse o deputado.

Frei Anastácio manifestou apoio às oito entidades científicas que enviaram carta ao presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco, denunciando o golpe e pedindo providências contra mais esse ataque à ciência. “Estamos diante de um governo que não tem nenhum respeito, nem atenção para com a ciência e a pesquisa. Vamos lutar para tentar modificar essa situação”, destacou.

As entidades ABC, Andifes, Confap, Conif, Confies, Consecti, IBCHIS e SBPC classificaram a medida do governo como “um golpe duro na ciência e na inovação, que prejudica o desenvolvimento nacional”. Frei Anastácio concordou com as entidades e afirmou que “Bolsonaro está inviabilizando a educação, a ciência, a saúde, programas sociais, proteção ao meio ambiente e tudo que seja importante para o povo. Ele só acredita nas armas e na violência. Mas, o país está perto de sair desse buraco. Nas eleições de 2022, o povo dará a resposta elegendo Lula presidente para reconstruir o país”, afirmou.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here