O deputado federal Frei Anastácio (PT/PB) repudiou as declarações do presidente Jair Bolsonaro que chamou a luta camponesa de terrorismo no campo. “Bolsonaro está tentando criar um motivo para justificar os ataques que tem feito, buscando desestruturar a luta dos movimentos sociais do campo. Mas, não vai conseguir”, disse o deputado.

Frei Anastácio relatou que a declaração de Bolsonaro de que se o terrorismo no campo não for combatido, pode chegar aos grandes centros, é uma tática clara de governos fascistas. “A fala do presidente é discriminatória, aterroriza e joga a população contra os camponeses, na tentativa de criar uma narrativa que faça com que a sociedade crie aversão à luta pela reforma agrária. Uma luta legítima e necessária em um país tão desigual. O que Bolsonaro está fazendo é uma ação típica do contexto histórico dos governos fascistas”, comentou o deputado.

Bolsonaro só aceita os grandes

Frei Anastácio lembra ainda que Bolsonaro se orgulha de ter cortado repasses de recursos financeiros para Ong’s ligadas ao MST e à luta pela terra de forma geral. “Ele já investiu contra os sindicatos urbanos e rurais, agora ataca os movimentos sociais do campo. Governo autoritário e antidemocrático é assim: não aceita que exista nenhum tipo de organização que lute por direitos e combata seus absurdos”, apontou.

 Frei Anastácio destaca que Bolsonaro fala abertamente que apenas a propriedade privada e o agronegócio são importantes em seu Governo. “Ele tem trabalhado com todas as ferramentas para sucatear a luta camponesa. O que Bolsonaro não sabe é que a luta pela terra e na terra sobreviverá ao seu Governo, pois a força e a união do povo do campo são maiores do que ele”, concluiu.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here