Homens armados tentam acabar missa a tiros, em Pilar

Frei

Homens armados tentaram impediram a tiros que posseiros da fazenda Paraíso, em Pilar, realizassem uma missa campal na tarde de ontem (30), em comemoração aos 50 anos de vida religiosa do padre João Maria, pároco da Igreja de São Miguel de Taipu e um dos grandes apoiadores dos trabalhadores sem terra que lutam pela reforma agrária na Paraíba.

A denúncia está sendo feita pelo deputado estadual Frei Anastácio. Segundo ele, a homenagem ao padre João Maria foi organizada pela Comissão Pastoral da Terra (CPT), trabalhadores rurais, padres de outras cidades e muitos religiosos. “Quando o pessoal estava chegando de ônibus, para a missa campal, três homens apareceram num Fiat Uno prata  e já chegaram atirando. Houve muita correria, mas graças a Deus ninguém foi ferido”, disse Frei Anastácio.

O deputado relatou que o fato imediatamente foi comunicado a Polícia Militar. “Uma guarnição foi até o local e os policiais se depararam com os três capangas que estavam retornando ao local da missa, provavelmente para disparar mais tiros contra os trabalhadores. Mas, quando viram a polícia, eles correram. Um deles saiu do carro e tentou fugir por um rio, mas foi preso. Com ele, a polícia encontrou uma das armas usadas para atirar contra os trabalhadores. O homem, que não teve o nome revelado ainda, está na cadeia de Itabaiana”, relatou.

O parlamentar faz um apelo ao secretário de segurança pública, Claudio Lima, para que o atentado seja apurado e os acusados sejam todos presos e paguem pelo que fizeram. “Além de punir esses capangas, é preciso identificar quem são os mandantes dessa tentativa de assassinato”, disse o deputado.

Frei Anastácio informou que a fazenda Paraíso tem mais de 400 hectares e tem 40 famílias de posseiros que moram no imóvel há mais de 50 anos. “Essas famílias estão lutando pelos seus direitos adquiridos. Os trabalhadores já foram prestar queixa várias vezes, na delegacia de Pilar, sobre as ameaças de morte que estão sofrendo, constantemente, de capangas armados. Ontem, os capangas agiram de forma mais violenta ainda, saíram das ameaças e atiraram contra os trabalhadores”, lamentou o deputado.

Leia também