Lei de Frei Anastácio torna música ‘Paraíba Joia Rara’ em patrimônio imaterial da PB

Ton Oliveira

A Lei nº 11.064/2017, de autoria do deputado estadual Frei Anastácio (PT), sancionada pelo governador do estado e publicada no Diário Oficial do Estado, em 29/12/2017, torna a música de Ton Oliveira, “Paraíba Joia Rara”, em Patrimônio Imaterial do Estado. “Essa música, tão bela, passa a ser agora um patrimônio do Estado que deve ser preservado e utilizado no engrandecimento e valorização de nossa cultura”, disse o deputado.

Segundo Frei Anastácio, “Essa música se tornou numa das mais tocadas de todos os tempos na Paraíba. É um segundo hino da Paraíba, que levanta a autoestima de todos nós paraibanos e valoriza o nosso estado, até mesmo nas divulgações turísticas dentro e fora do Brasil. É uma composição repleta de beleza, tanto na melodia como na letra, trazendo verdades sobre a nossa terra”, disse o deputado.

A música foi composta por Ton Oliveira, em 2011. Segundo ele, a composição surgiu quando ele se dirigia com destino ao município de Solânea, ao observar a paisagem do Agreste. Ele conta que a primeira inspiração foi o refrão que surgiu naturalmente. “Eu sou da Paraíba, esse é meu lugar. A cara desse povo tem a minha cara. Encanto de beleza que me faz sonhar. Lugar tão belo assim, para mim é joia rara”.

O que é patrimônio  imaterial?

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) define como patrimônio imaterial “as práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas, a exemplo de instrumentos, objetos, artefatos e lugares culturais que lhes são associados. Essa definição está de acordo com a Convenção da Unesco para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial, ratificada pelo Brasil em março de 2006. Na Constituição Federal de 1988, nos artigos 215 e 216, há ampliação do significado de patrimônio cultural no momento em que  reconhece a existência de bens culturais de natureza material e imaterial. “Cabe agora, ao estado e a sociedade paraibana, a missão de preservar e até utilizar mais essa bela música na valorização do nosso estado”, disse Frei Anastácio.

Ton Oliveira

Ton Oliveira é cantor e compositor filho do poeta, repentista e compositor Juvenal de Oliveira.  Incentivado por seu pai a iniciar-se na música, aos 14 anos de idade, passou a acompanhar conjuntos musicais tocando triângulo e cantando composições de nomes como Luiz Gonzaga, Trio Nordestino, Jackson do Pandeiro, entre outros.

Em 1991, lançou seu primeiro disco, “Forró pra derreter”, no qual gravou músicas de sua autoria, de seu pai e de outros compositores. A partir de então, ficou conhecido através de composições até polêmicas, como é o caso da Locadora de mulher. “Com Paraíba Joia Rara”, ele mostrou seu lado poético, patriota e de valorizador do estado onde nasceu e vive”, afirmou o deputado.

Com cerca de 20 álbuns lançados,Ton Oliveira passou a ser considerado um dos nomes mais importantes da música paraibana.

“E essa música Paraíba Joia Rara já é muito mais conhecida do que o próprio hino da Paraíba. Essa nossa Lei tonando essa composição patrimônio imaterial do estado, é uma forma de valorizar essa bela composição e também tem o objetivo de incentivar outros cantores e compositores a gravarem mais músicas de exaltação ao nosso estado”, disse o deputado.

Leia também