Movimento de homens católicos da Áustria premia Verônica Petri da Tanzânia e Anastácio Ribeiro do Brasil, pelo compromisso com os mais necessitados

frei austriaEste texto foi retirado do sitehttp://www.kathpress.at/site/nachrichten/database/66223.html no site da
Agência de Notícias Católica na Áustria.

Graz, 2014/11/22 (KAP) – A Irmã Verônica Petri (80),que vive na Tanzânia e o franciscano brasileiro livre,Frei Anastácio Ribeiro (69), foram premiados na sexta-feira à noite, em Styria com o premio “Oscar Romero Award 2014″. O prêmio 10.000 é a homenagem de maior prestígio no domínio da cooperação para o desenvolvimento na Áustria e é concedido anualmente pela ação de desenvolvimento “ser livre” do Movimento dos Homens Católicos na Áustria (KMBÖ). Com os dois religiosos, duas pessoas foram homenageados por seu excelente desempenho, ao mesmo tempo, o primeiro tempo da Justiça e Desenvolvimento deste ano.

Petri e Ribeiro receberam o prêmio Dom Romero, em uma cerimônia no Centro de Eventos do Fernitz, em Graz das mãos do Graz Vigário Geral Heinrich Schnuderl e presidente KMBÖ, Leopold Wimmer. “Entendemos que a cooperação para o desenvolvimento e apoio às pessoas em seus países, de forma independente, pode ser ampliado”, disse Wimmer na cerimônia. “Nós sabemos que os fundos públicos destinados à cooperação para o desenvolvimento devem existir, então eu agradeço o movimento dos homens católicos que fique atento a este respeito, para nos lembrar que é necessário ajuda para as pessoas na África e na América Latina”, disse o Vigário Geral ressaltou Schnuderl em representação do Bispo diocesano Egon Kapellari. O trabalho de “Seja livre” show “que a Igreja é um sinal vivo e instrumento de unidade do homem com Deus.”

Irmã Verônica Petri leva a saúde dos Diocese tanzaniana de Morogoro, e construiu ali uma rede-diocesano ampla de centros de saúde. “Obrigado pela ajuda da Áustria, sem as doações da Europa, seria a construção das unidades de saúde em Morogoro impossível”, disse a freira, que pertence à comunidade do “Imaculado Coração de Maria”, na cerimônia de premiação.

Anastacio Ribeiro é co-fundador da “Comissão da Pastoral da Terra” (CPT) na Arquidiocese da Paraíba, no leste do Brasil. O padre franciscano desde 1975, atua com os trabalhadores rurais, pequenos agricultores e sem-terra. Em seu discurso, ele ressaltou que a Pastoral da Terra luta incansavelmente contra a injustiça em relação aos trabalhadores rurais no Brasil “. Obrigado por este prêmio porque o arcebispo Romero serve como uma inspiração para nós em nossa luta”, disse Anastacio.

O Prêmio Romero foi criado pelo Movimento dos Homens Católicos, na Áustria, em 1980, em memória do arcebispo assassinado de San Salvador, Oscar Arnulfo Romero. O prêmio é concedido a pessoas que trabalham de uma maneira especial para a justiça e os direitos humanos. Nos últimos anos, o prêmio foi concedido ao ativista de direitos humanos somali contra a circuncisão feminina, Waris Dirie, o austro-brasileiro capelão da prisão Günther Zgubic, o missionário americano Leste Africano Pat Patten, a Alta Áustria brasileiro missionário Jose Hehenberger e ao Claretiano Padre Gabriel Mejia (2008) por seu trabalho com crianças de rua na Colômbia.

Leia também