NOTA APOIO AOS AGRICULTORES DA FAZENDA SALGADINHO EM MOGEIRO PB

11248800_871601039594549_4336921719102113024_nA Frente Brasil Popular da Paraíba, formada por partidos políticos e vários movimentos sociais, vem a público prestar irrestrita solidariedade aos agricultores da Fazenda Salgadinho, no município de Mogeiro, que nesta segunda-feira, 26/10/2015, foram feridos a tiros de espingardas 12 e revólveres 38 por capangas pagos pelos donos da Fazenda.

Os agricultores, em mutirão, estavam construindo uma cerca quando foram atacados pelos capangas. Seis posseiros foram baleados no tórax e pernas, sendo que um deles teve cinco perfurações no abdômen. Nenhum capanga foi ferido.

A Polícia Militar prendeu sete capangas e armas utilizadas no massacre contra os agricultores. Nenhuma arma foi encontrada com os trabalhadores, moradores da Fazenda. No entanto, o delegado de Itabaiana, Luiz de Barros Pessoa, acusou os agricultores baleados, no inquérito policial, por tentativa de homicídio, formação de quadrilha e por danos à propriedade privada. Por outro lado, o delegado autuou os capangas apenas por porte ilegal de armas e lesão corporal leve.

A Fazenda Salgadinho possui 470 hectares e 33 famílias de posseiros vivem e trabalham no local há mais de 50 anos. Há oito anos que os proprietários da Fazenda vem ameaçando essas famílias de expulsão da terra, sem nenhum direito. Os capangas pagos pelos proprietários realizam, com muita frequência, tiroteios nas proximidades das casas dos posseiros, como forma de ameaça e amedrontamento. Vários boletins policiais já foram feitos pelos posseiros, denunciando esses fatos e nenhuma providência mais efetiva foi tomada.

Mais uma vez, trabalhadores tem suas vidas e de suas famílias ameaçadas. Tem suas dignidades como seres humanos violentadas pelos interesses econômicos de proprietários de terra. Até quando?

A terra e a água são bens públicos, pois são fundamentais para a sobrevivência humana. Todo ser humano deve ter o direito de dispor de um pedaço de terra suficiente para morar e/ou trabalhar. O direito à vida deve ser muito superior ao direito à propriedade privada. Enquanto este princípio não valer, como base concreta da vida social, a selvageria dos poderosos, e de seus asseclas, estará imperando como forma de impor os privilégios desmedidos de poucos sobre o sacrifício dos direitos básicos de vida da maioria.

No Brasil a propriedade da terra está fortemente concentrada nas mãos de pouquíssimas famílias, que além de concentrarem riqueza, concentram também poder político e poder midiático. Mandam e desmandam. Nessas condições, a “democracia brasileira” é uma farsa.

Não é possível uma democracia substantiva se não existir, como um de seus pilares, uma democratização de acesso à terra e a tudo que ela representa e exige. A luta dos agricultores que apoiamos, como a luta dos posseiros da Fazenda Salgadinho em Mogeiro, é a luta para fecundar a terra, de forma que dessa luta possa nascer uma nova vida, uma maneira mais fraterna, mais generosa, das pessoas viverem entre si e com a Natureza.

 

 

João Pessoa, 28 de outubro de 2015

FRENTE BRASIL POPULAR/PB

Leia também