Polícia destrói acampamento de sem terra, em Santa Rita

Polícia Militar está no acampamento 15 de Novembro, no distrito de Livramento, em Santa Rita, desde as primeiras horas da manhã desta quarta-feira (15). Utilizando tratores, a polícia destruiu toda plantação e barracas montadas pelas 300 famílias de trabalhadores sem terra, que estão acampadas no local.

O acampamento foi formado no dia da proclamação da república, em 2013. As famílias já estavam com plantação de mil pés de banana, 200 pés de coco, maniva de macaxeira e outras culturas,

 Segundo o deputado estadual Frei Anastácio (PT), os  acampados são do  distrito de Livramento, onde moram cerca de 3 mil famílias, que receberam terreno para construir suas casas doados pela igreja, na gestão de  Dom José Maria Pires, quando era arcebispo da Paraíba.

 “Hoje, estão cercados pela cana de açúcar, sem trabalho. São famílias que serviram aos plantadores de cana e a usineiros e sempre viveram na miséria. Durante todos esses anos, essas famílias só conheceram o sofrimento, a pobreza, miséria e o abandono público. Parte das famílias estavam acampadas, em busca de terra para trabalhar”, relatou o deputado que esteve no acampamento.

O parlamentar disse que isoladas naquele distrito, as famílias não dispõem de saúde, educação nem têm fonte de renda. Elas vivem de catar caranguejo e do pouco que pescam. Uma situação precária de sobrevivência. Com isso, resolveram formar um acampamento nas terras que estão ao lado do distrito.

 “São cerca de 1.000 hectares de terras que pertencem a Arquidiocese da Paraíba e foram griladas pela usina São João. É justamente essa terra que as 300 famílias estão reivindicando. Mesmo assim, a usina entrou com ação de despejo e conseguiu destruir o acampamento”, disse o deputado.

Frei Anastácio disse que além dele, a Comissão Pastoral da Terra também está apoiando a luta dessas famílias que estão em busca de dignidade para viver. Elson Matias, representante do centro de Defesa dos Direitos Humanos Dom Oscar Romero, de Santa Rita, também está apoiando a luta das famílias.

Leia também