População se une a trabalhadores e evita despejo de posseiros, em Rio Tinto

HVF7HC-1A união de famílias posseiras da comunidade Oiteiro de Campina, em Rio Tinto, e a população, impediu que fosse realizado um despejo injusto durante o final de semana passado. O fato foi registrado pelo deputado estadual Frei Anastácio, na Assembleia Legislativa. “Quando o oficial de justiça chegou com a polícia, encontraram posseiros e a população unidos contra essa injustiça”, disse Frei Anastácio.

A ação de despejo contra os agricultores posseiros foi impetrada pela Companhia de Tecidos Paulista, que também pertence à família Lundgren. “São gerações de oito famílias que residem em Oiteiro de Campina, mesmo antes de ser comprado pelo patriarca dos Lundgren. A propriedade toda é composta por 290 hectares, dos quais apenas 10,5, aproximadamente, estão sendo cultivados pelos agricultores, que tiram da terra sua sobrevivência. Apesar disso, a família está querendo expulsar as famílias sem nenhum direito”,disse Frei Anastácio.

O deputado disse que a tática utilizada é tentar despejar os posseiros, um por um, para enfraquecer o movimento. “Mas, a população está do lado desses trabalhadores posseiros. São pessoas honestas, íntegras e que não merecem serem tratados desse jeito. É inacreditável que em nome do dinheiro os herdeiros da Família Lundgren façam essa crueldade com idosos, com esses moradores de Rio Tinto. As famílias estão nas terras, por gerações, há cerca de 150 anos”, destacou o deputado.

Frei Anastácio também parabenizou o esforço do procurador José Godoy que vem lutando para impedir, dentro da lei, o despejo das famílias. “O nosso mandato, o do deputado federal Luiz Couto e a Comissão Pastoral da Terra estão ao lado dos posseiros prestando toda assessoria necessária”, afirmou o deputado.

Mortes de trabalhadores rurais

Frei Anastácio também registrou o grande aumento da violência contra trabalhadores rurais no Brasil. Segundo ele, de janeiro até julho deste ano,  de 45 homens e mulheres foram assassinados no país.Em todo ano de 2016, foram 61 assassinatos. “Estamos ainda no segundo semestre é já ocorreram todas essas mortes. Isso garante o sentimento de impunidade e de que este governo golpista é conivente com a injustiça instalada no Brasil”, atacou o deputado.

O parlamentar contextualizou o discurso, citando a revolta de religiosos, em relação a essa violência, citando a homilia da quadragésima romaria da terra, em Jesus da Lapa, na Bahia, que retrata muito bem o que é isso.

“Em um dos trechos a homilia dia que: Vivemos nesse contexto de Brasil em que nossas instituições políticas e administrativas estão apodrecidas e mal cheirosas pela corrupção, pelo desmando, pela ganância desenfreada do lucro a qualquer preço, pela violência, pela morte.

Nossos horizontes estão nublados e não vemos a luz no final do túnel. Nós como religiosos, estamos preocupados e convocamos os telespectadores que nos assistem pela TV Assembleia.Convocamos as pessoas que estão nas galerias e todos aqueles que sabem que não se governa dessa forma para ir às ruas, se levantar diante deste governo manipulador e golpista.

Eles querem se manter no poder a todo custo, colocando preço na dignidade dos trabalhadores, ou alimentando aqueles que mamam do dinheiro público. As políticas públicas caminham no sentido contrário dos interesses da população, especialmente aqueles mais humildes.Nenhuma dessas reformas contempla o povo.Nenhuma dessas ações do governo é benéfica nem para o povo, nem para as gerações futuras.

Quero terminar essa fala lento uma passagem da romaria da terra que diz: O projeto de Deus não está no Planalto, numa cidade que chamamos de Brasília, mas vem de nossas comunidades, do povo espalhado por este Brasil afora do Oiapoque ao Chuí; das terras ocupadas pelos pequenos e pelos pobres como tão insistentemente repete nosso querido Papa Francisco.

Espero que mesmo que não saiam às ruas, as pessoas que estão no conforto de casa assistindo e sofrendo com o desconforto provocado por esse governo golpista, dê resposta através do voto no próximo ano.Não votem em golpistas, não votem naqueles que votaram e que votarão para derrubar direitos dos trabalhadores.Não votem nesses que estão ao lado do governo que está massacrando a agricultura familiar, que está fazendo o Brasil caminhar mais de 40 anos para trás”, conclui a homilia.

Leia também